Educação e treinamento são as maiores prioridades para jovens migrantes em 2021  
BR

21 julho 2021

Pesquisa global do Unicef também envolveu venezuelanos vivendo no Brasil; estudo apela à ação para fechar o fosso e desbloquear talentos de migrantes e refugiados; grupo em movimento é considerado agente de mudança e liderança para o futuro. 

Uma nova pesquisa global aponta que quase 40% dos jovens migrantes e deslocados identificaram a educação e o treinamento de aptidões como suas grandes prioridades. 

O relatório Talentos em Movimento, em tradução livre, revela a preferência de 30% do grupo por oportunidades de emprego.

Obstáculos 

A pesquisa, liderada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, envolveu 26 mil participantes. Entre os inquiridos estavam 8.764 com idades entre 14 e 24 anos. 

Cerca de 70% dos entrevistados mencionaram a falta de fundos como barreira que mais limita o acesso à aprendizagem. Quatro em cada 10 relataram a falta de empregos como seu maior obstáculo para ter rendimentos. 

Pesquisa apela à ação apela para cobrir fosso e desbloquear talento inexplorado dos jovens em movimento
Acnur/Felipe Irnaldo
Pesquisa apela à ação apela para cobrir fosso e desbloquear talento inexplorado dos jovens em movimento

 

A pesquisa U-Report envolveu cidadãos de 119 países durante quatro semanas. No Brasil, foi usada uma plataforma entre agências para inquirir migrantes venezuelanos vivendo no país. O método também foi usado na Bolívia e no Equador. 

Pelo menos 3.157 jovens foram identificados como migrantes, refugiados ou deslocados internos. Cerca de 30% deles destacaram que falta informação para os jovens em movimento.  

Potencial  

Entre as meninas que relataram ter esse problema, uma em cada cinco considera que a internet permitiria ter mais dados.

Ao serem questionados se poderiam contribuir com opiniões, habilidades e talentos, 88% dos jovens em movimento disseram que podem apoiar a comunidade nessas questões. 

Os entrevistados mais jovens apontaram as redes sociais como o principal veículo para esse propósito, enquanto os mais velhos optaram pelo contato com grupos de jovens e autoridades locais. 

O relatório destaca ainda o potencial dos jovens migrantes, deslocados internos ou refugiados como agentes de mudança, líderes e inovadores do futuro. 

Jovens em movimento 

No entanto, o estudo considera a lacuna entre as aspirações juvenis e suas oportunidades como “um apelo à ação para que todos façam mais para preencher o fosso e desbloquear o talento inexplorado dos jovens em movimento”. 

Na parceria, a Unicef colaborou com o Grupo das Nações Unidas para Crianças e Jovens e a ONG Prospects Partnership. 

Refugiados venezuelanos caminham 11 horas por dia para chegar até ao Equador e ao Peru.
Foto PMA/Jonathan Dumont
Refugiados venezuelanos caminham 11 horas por dia para chegar até ao Equador e ao Peru.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud