Bachelet pede libertação de manifestantes presos em Cuba
BR

16 julho 2021

Alta comissária da ONU para os Direitos Humanos também condena a morte de uma pessoa que protestava em Havana; Michelle Bachelet está preocupada com uso excessivo da força e detenção de jornalistas. 

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos está pedindo a libertação de todos os manifestantes que foram presos em Cuba nos últimos dias. Nesta sexta-feira, em Genebra, Michelle Bachelet expressou sua preocupação “com o uso excessivo da força contra as pessoas que protestam no país. 

Bachelet cita ainda a prisão de manifestantes e de jornalistas e destaca que o paradeiro de muitos continua desconhecido. A alta comissária faz um apelo à libertação imediata de todos os que foram detidos por exercerem seu direito à liberdade de expressão.   

Crianças a caminho da escola em Havana, Cuba
Foto: Radmilla Suleymanova
Crianças a caminho da escola em Havana, Cuba

 

Morte  

Michelle Bachelet condena ainda a morte de um manifestante na capital, Havana, e pede que a investigação do caso seja imediata, transparente e eficiente.  

Os protestos em Cuba acontecem num momento em que o país enfrenta uma situação econômica difícil. Os manifestantes pedem o fim dos embargos, que dificultam o acesso a bens essenciais, como comida, medicamentos e vacinas contra a Covid-19.  

Diálogo 

Bachelet faz um apelo ao governo cubano para o diálogo e respeito ao direito das pessoas de manifestarem de forma pacífica,  e pelo respeito às liberdades de opinião e de expressão. 

A alta comissária para os Direitos Humanos quer ainda a retomada do acesso à internet e às redes sociais. Bachelet também pede o fim das sanções unilaterais, por terem um impacto negativo em várias frentes, incluindo no direito à saúde.  

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud