Bachelet pede libertação de manifestantes presos em Cuba BR

Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os Direitos Humanos
Foto: ONU News/Daniel Johnson
Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os Direitos Humanos

Bachelet pede libertação de manifestantes presos em Cuba

Direitos humanos

Alta comissária da ONU para os Direitos Humanos também condena a morte de uma pessoa que protestava em Havana; Michelle Bachelet está preocupada com uso excessivo da força e detenção de jornalistas. 

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos está pedindo a libertação de todos os manifestantes que foram presos em Cuba nos últimos dias. Nesta sexta-feira, em Genebra, Michelle Bachelet expressou sua preocupação “com o uso excessivo da força contra as pessoas que protestam no país. 

Bachelet cita ainda a prisão de manifestantes e de jornalistas e destaca que o paradeiro de muitos continua desconhecido. A alta comissária faz um apelo à libertação imediata de todos os que foram detidos por exercerem seu direito à liberdade de expressão.   

Crianças a caminho da escola em Havana, Cuba
Foto: Radmilla Suleymanova
Crianças a caminho da escola em Havana, Cuba

 

Morte  

Michelle Bachelet condena ainda a morte de um manifestante na capital, Havana, e pede que a investigação do caso seja imediata, transparente e eficiente.  

Os protestos em Cuba acontecem num momento em que o país enfrenta uma situação econômica difícil. Os manifestantes pedem o fim dos embargos, que dificultam o acesso a bens essenciais, como comida, medicamentos e vacinas contra a Covid-19.  

Diálogo 

Bachelet faz um apelo ao governo cubano para o diálogo e respeito ao direito das pessoas de manifestarem de forma pacífica,  e pelo respeito às liberdades de opinião e de expressão. 

A alta comissária para os Direitos Humanos quer ainda a retomada do acesso à internet e às redes sociais. Bachelet também pede o fim das sanções unilaterais, por terem um impacto negativo em várias frentes, incluindo no direito à saúde.