Policial do Níger e instituição do México ganham Prêmio de População da ONU 
BR

16 julho 2021

Líder e inovadora, Hassane Haousseize Zouera é a mais nova a receber a distinção; instituição mexicana criou Atlas de Gênero e plataformas para acompanhar desafios de mulheres, meninas e jovens indígenas. 

O Prêmio População das Nações Unidas de 2021 foi atribuído à superintendente de polícia do Níger, Hassane Haousseize Zouera, e à Diretoria Geral de População de Oaxaca, do México. 

Todos os anos, o reconhecimento é feito a um indivíduo e uma instituição por contribuições para questões da população, do desenvolvimento e da saúde reprodutiva. 

Mulheres 

O painel reconheceu a comissária Zouera como líder no enfrentamento da violência de gênero e por contribuições para tornar o Níger um lugar mais seguro para mulheres e meninas.  

O Fundo da ONU para a População, Unfpa,  exerce o secretariado do Comitê para o Prêmio da População das Nações Unidas que junta representantes de 10 Estados-membros. 

Iniciativa liderada pela policial nigerina apoiou combate à violência baseada de gênero
Ocha/Eve Sabbagh
Iniciativa liderada pela policial nigerina apoiou combate à violência baseada de gênero

 

A Diretoria Geral de População de Oaxaca foi aclamada pelo trabalho pioneiro em saúde reprodutiva e outras questões que afetam povos indígenas no estado do México. A região está entre as cinco com os maiores índices nacionais de feminicídio. 

Perfil dos vencedores 

Nascida em 1983, Hassane Haousseize Zouera é não apenas a mais nova vencedora do prêmio, mas também superintendente feminina da força policial do Níger. Ela liderou a corporação em uma iniciativa que prioriza a proteção de migrantes, mulheres, crianças e jovens. 

Como chefe da Divisão para a Proteção de Menores e Mulheres, ela coordena o trabalho de 107 brigadas em todo o país desde 2020. Todas as unidades respondem à violência de gênero.  

A premiada destaca-se pela forma como executa as políticas nacionais na área. Ela criou um banco de dados eletrônico que monitoriza  a violência e facilita o encaminhamento de casos em todo o país.  

O Unfpa destaca que a força policial do país africano melhorou o combate à violência baseada de gênero e o apoio aos sobreviventes. Ela é tida como um “modelo e mentora para outras mulheres que aspiram ascender no serviço público.” 

Indígenas 

A Direção Geral de População de Oaxaca, Digepo, foi criada em 1998 para implementar a política populacional em nível local no estado mexicano.  

Vice-chefe da ONU destacou potencial das comunidades indígenas
FAOALC
Vice-chefe da ONU destacou potencial das comunidades indígenas

 

No país, a instituição é reconhecida pelas contribuições para as políticas públicas e ações para apoiar e melhorar a vida de mulheres, meninas, crianças vulneráveis e povos indígenas.  

O impacto com materiais técnicos, de defesa e educação, é forte quando se trata de abordar questões críticas no país, incluindo desigualdade de gênero, gravidez na adolescência e trabalho infantil. 

Plataformas  

A Digepo criou o “Atlas de Gênero de Oaxaca” que identifica os desafios de gênero e montou plataformas para monitorar e prevenir a gravidez na adolescência, eliminar a violência sexual e promover escolhas saudáveis para os jovens. 

A entidade mexicana também produziu materiais desencorajando o trabalho infantil e incentivando a prevenção do HIV. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud