Às vésperas dos Jogos Olímpicos, ONU pede trégua de confrontos internacionais BR

As Olimpíadas de Tóquio começam no dia 23 de julho de 2021, após um ano de atraso devido à pandemia Covid-19
Unsplash/Erik Zünder
As Olimpíadas de Tóquio começam no dia 23 de julho de 2021, após um ano de atraso devido à pandemia Covid-19

Às vésperas dos Jogos Olímpicos, ONU pede trégua de confrontos internacionais

Paz e segurança

Secretário-geral das Nações Unidas faz tradicional apelo “para o silêncio das armas durante os jogos”; pedido de solidariedade em prol da paz mundial enaltece atletas que estarão nas Olimpíadas de Tóquio.

O secretário-geral das Nações Unidas divulgou um vídeo na preparação da abertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Japão, que começam na próxima sexta-feira, dia 23 de julho.

António Guterres fala dos atletas do mundo todo, que passaram “por enormes obstáculos para participar das Olimpíadas, em plena pandemia de Covid-19. O chefe da ONU pede ao mundo que mostre a mesma força e solidariedade nos esforços pela paz mundial.

 Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, com Guterres, secretário-geral da ONU.
ONU/Mark Garten
Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, com Guterres, secretário-geral da ONU.

Apelo Tradicional 

Guterres lembra que a “trégua olímpica é um apelo tradicional”, para que as armas sejam silenciadas durante os jogos de Tóquio.

O secretário-geral destaca que “povos e nações podem aproveitar esta pausa temporária” nos confrontos e assim, estabelecer “cessar-fogos duradouros e encontrar caminhos para a paz sustentável”. 

OMS ressalta que pandemia terminará quando o mundo decidir acabar com ela
Unsplash/Jazael Melgoza
OMS ressalta que pandemia terminará quando o mundo decidir acabar com ela

Recuperação Forte 

António Guterres pede a todos os lados em conflito para respeitarem a Trégua Olímpica durante os Jogos de Tóquio. Ele disse esperar que a iniciativa sirva base para os próximos meses. 

Segundo o chefe das Nações Unidas, buscar a paz e a união são metas comuns ainda mais importantes neste ano, com o mundo tentando acabar com a pandemia e consolidar uma recuperação global forte, inclusiva e sustentável.