Enviado da ONU à Síria fala ao Conselho de Segurança sobre agravamento da situação humanitária
BR

25 junho 2021

Geir Pedersen defendeu acesso aos sírios para passagem de ajuda; na quarta-feira, secretário-geral disse ao órgão que a passagem de alimentos, medicamentos e outros itens de socorro, pelo noroeste da Síria, tem que continuar; resolução autorizando a passagem expira em 10 de julho.

O Conselho de Segurança da ONU debate a grave situação humanitária na Síria, onde mais de 13,4 milhões de pessoas precisam de ajuda para sobreviver por causa da guerra.

O enviado especial do secretário-geral ao país, Geir Pedersen, reiterou ao órgão o apelo de António Guterres para manter aberta a passagem no noroeste para a chegada de alimentos, medicamentos e outros itens de socorro à população.

Ajuda é entregue à Síria vindo da Turquia, através da passagem de fronteira de Bab El Hawa
© Unocha
Ajuda é entregue à Síria vindo da Turquia, através da passagem de fronteira de Bab El Hawa

Solução

Pedersen lembra que os civis em todo o país precisam, desesperadamente, dessa ajuda. A abertura do cruzamento é autorizada numa resolução do Conselho de Segurança, a atual expira em 10 de julho.

Segundo o enviado, existe desconfiança entre as partes do conflito na Síria numa situação que já é bastante complexa no terreno. Mas para ele, é preciso encontrar uma solução que atenda a todos.

Pedersen disse que as conversações para uma solução do conflito devem continuar. Ele mesmo tem mantido contato constante com representantes da Rússia e dos Estados Unidos, o que ocorreu antes do Encontro de Cúpula de Genebra sobre o tema.

Nesta sexta-feira, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, informou que, todos os meses, mais de mil caminhões transportando comida, medicamentos e outros itens para o cruzamento de Bab al-Hawa, passam pelo local desde 2020. 

Crianças em Alepo recolhendo água. Conflito na Síria começou há 10 anos.
Unicef/Khuder Al-Issa
Crianças em Alepo recolhendo água. Conflito na Síria começou há 10 anos.

Falha

António Guterres pediu aos membros do Conselho que obtenham consenso para autorizar o transporte por mais um ano e disse que a falha em alcançar esse resultado terá consequências arrasadoras para os sírios.

A guerra na Síria, que começou em 2011 e causou a maior operação humanitária da ONU no mundo com uma conta de US$ 10 bilhões para apoiar as pessoas afetadas no país e na região.

O secretário-geral lembrou que muitos sírios vivem hoje em piores condições desde o início do conflito. A situação no noroeste é mais grave com mais de 70% das pessoas precisando de assistência humanitária para sobreviver e quase 3 milhões deslocados.

Cerca de metade das crianças na Síria nunca viveu um dia sem guerra
Ocha/Mahmoud Al-Basha
Cerca de metade das crianças na Síria nunca viveu um dia sem guerra

Assistência

Quase um terço das pessoas assistidas pelo PMA vivem na região. Guterres contou que está dialogando com a Turquia e grupos que controlam a área. 

O chefe interino do Escritório de Assistência Humanitária da ONU, Ramesh Rajasingham, afirmou que todos os canais devem ser abertos para entregar assistência que serve para salvar a vida das pessoas.

Segundo a ONU, os níveis de insegurança alimentar na Síria são os piores desde o início do conflito. Atualmente, 12,4 milhões de pessoas não têm o suficiente para comer o que representa quase 60% da população e um aumento de 4,5 milhões de pessoas em apenas um ano.

O preço dos alimentos segue disparando. No ano passado, o acréscimo foi de 247% com famílias inteiras sendo lançadas na pobreza.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud