ONU quer plano de saída de forças externas da Líbia  BR

Acordo na Líbia é o mais recente sucesso dos esforços de mediação da ONU
Foto: ONU/Violaine Martin
Acordo na Líbia é o mais recente sucesso dos esforços de mediação da ONU

ONU quer plano de saída de forças externas da Líbia 

Paz e segurança

Durante Conferência em Berlim, secretário-geral António Guterres pede clareza sobre retirada de todas as forças mercenárias do país; ele apelou às autoridades interinas que atuem na organização das eleições em 24 de dezembro.

A Alemanha acolhe esta quarta-feira a Conferência de Berlim sobre a Líbia. Participam representantes do governo de unidade interino, de países com poder de  influência e das Nações Unidas. A meta é mobilizar apoio internacional em favor do processo político e do cessar-fogo. 

O secretário-geral das Nações Unidas informou que os primeiros monitores do cessar-fogo devem chegar em breve à capital líbia, Trípoli. Em abril, uma resolução do Conselho de Segurança autorizou o envio de 60 integrantes. 

Interferências  

O líder das Nações Unidas apelou ao fim de todas as interferências estrangeiras, incluindo a retirada das forças mercenárias do país do norte de África. 

Secretário-geral lembrou que os países-membros têm, pela resolução aprovada pela Assembleia Geral, um incentivo para apoiar e assistir quem sobrevive ao ataque terrorista
Governo Federal / Guido Bergmann
Secretário-geral lembrou que os países-membros têm, pela resolução aprovada pela Assembleia Geral, um incentivo para apoiar e assistir quem sobrevive ao ataque terrorista

 

Guterres disse que a Missão da ONU para a Líbia, Unsmil, está pronta para apoiar o plano para saída tanto de forças líbias como as externas após um acordo das partes sobre “um plano abrangente e com cronogramas claros, para atingir essa meta”. 

Para ele, melhorar a segurança dos líbios ajudará a alcançar o progresso no campo político. Ele elogiou medidas recentes para consolidar a confiança e a inclusão no Governo de Unidade Nacional de mulheres em cargos ministeriais. 

Guterres saudou ainda às autoridades líbias pela transição pacífica de poder que disse ser “uma prova da vontade política de seguir em frente.” 

Prioridades 

O chefe da ONU quer mais ação para a organização das eleições em 24 de dezembro, vistas como a principal tarefa e como “um momento de unidade.” 

Tanque militar danificado virou local de brincadeira para crianças em Bengazi, na Líbia
Unmas/Maximilian Dyck
Tanque militar danificado virou local de brincadeira para crianças em Bengazi, na Líbia

É o primeiro encontro desde janeiro de 2020, quando foram definidas vias políticas, militares e econômicas para resolver a violência que eclodiu em 2011 após a queda do ex-líder líbio Muammar Khaddafi. 

Em 2014, o país passou a ser gerido por duas administrações, o oeste pelo governo reconhecido pela comunidade internacional e a leste por forças leais ao comandante Khalifa Haftar.  

A meta do encontro em Berlim é garantir o prosseguimento das eleições, a retirada de combatentes e mercenários estrangeiros e a união das forças de segurança do país. 

Plano 

O ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, informou que os participantes querem “garantir que o apoio internacional no país” onde cerca de 1,3 milhão de pessoas necessitam de assistência humanitária. 

Mulheres e crianças em centro de detenção para migrantes em Tripoli, na Líbia
Unicef/Alessio Romenzi
Mulheres e crianças em centro de detenção para migrantes em Tripoli, na Líbia

O número aumentou 400 mil desde o ano passado, de acordo com o Plano de Resposta Humanitária. Somente estão disponíveis cerca de um quinto dos US$ 189 milhões para apoiar os mais vulneráveis. 

Guterres pediu a consolidação da paz e a construção de uma nação próspera fundamentadas no respeito aos direitos humanos para todos.  

O secretário-geral espera medidas urgentes do governo para proteger os detidos durante os atos de violência e a garantia de responsabilização dos autores das violações dos direitos humanos.