União, herança e tradições são parte das celebrações do Dia Internacional do Solstício BR

Pôr do sol na região de Alajärvi, Finlândia
OMM/Tapio Niemi
Pôr do sol na região de Alajärvi, Finlândia

União, herança e tradições são parte das celebrações do Dia Internacional do Solstício

Clima e Meio Ambiente

Fenômeno astronômico ocorre quando posição do sol atinge limite máximo, a norte ou sul da linha do Equador; solstício de verão produz as 24 horas mais longas do ano; o do inverno é conhecido como o dia mais curto do calendário.

A ONU celebra neste 21 de junho o Dia Internacional do Solstício. Conhecido como a incorporação da unidade de culturas e tradições centenárias. 

A cultura é um conjunto de características emocionais, intelectuais, materiais e espirituais da sociedade e de grupos sociais. 

Solstícios e equinócios simbolizam a fertilidade da terra e dos sistemas de agricultura e produção de alimentos
Banco Mundial/Scott Wallace
Solstícios e equinócios simbolizam a fertilidade da terra e dos sistemas de agricultura e produção de alimentos

Povos

Ela também abrange a arte, a literatura, estilos de vida e formas de convivência, assim como sistemas de valores, tradições e crenças.

Solstícios e equinócios simbolizam a fertilidade da terra e dos sistemas de agricultura e produção de alimentos. 

O Dia Internacional foi criado pela Assembleia Geral da ONU como uma forma de fortalecer os laços entre os povos com base no respeito mútuo e em ideais de paz e de boa vizinhança.

Em finais de julho ocorreu uma perda considerável de massa de gelo
Ólafur Rafnar Ólafsson
Em finais de julho ocorreu uma perda considerável de massa de gelo

Raios solares

O solstício de verão também produz o dia mais longo do ano, o de inverno em 21 de dezembro, é conhecido como o primeiro dia da estação fria e o mais curto do ano.

O equinócio, marca o momento em que o centro do sol é visivelmente percebido diretamente sobre a linha do Equador.  

Ambos os fenômenos são relacionados à incidência dos raios solares e à posição da Terra. Os dois ocorrem duas vezes por ano nos Hemisférios Sul e Norte.

Juntos, ambos conectam estações, colheitas e subsistências e por isso são celebrados por muitas culturas e despertam festivais e comemorações.