Guterres pede ações e políticas concretas de transição global para energia limpa  

Guterres pede ações e políticas concretas de transição global para energia limpa   BR

Banco Mundial/Jutta Benzenberg
Guterres pede ações e políticas concretas de transição global para energia limpa  

Guterres pede ações e políticas concretas de transição global para energia limpa  

ODS

Secretário-geral falou esta quarta-feira a líderes e especialistas em transformação energética reunidos em evento virtual em Santiago do Chile; Fórum Ministerial Clean Energy quer ajudar a acelerar processo em todo o planeta.

O Chile acolhe um encontro internacional com personalidades de diferentes áreas no debate sobre transição para a energia limpa e inovação. 

Ministros de 27 países participam do evento virtual ao lado do secretário-geral da ONU, António Guterres, e outros líderes e especialistas em transformação energética até domingo. 

Emissões 

No evento Clean Energy Ministerial, Guterres pediu urgência para a redução de emissões globais em 45% até 2030 em relação aos níveis de 2010. Ele disse que esta meta aliada às emissões líquidas zero até 2050 é um propósito comum tanto na ONU como na iniciativa global. 

Secretário-geral das Nações Unidas pediu os países que apresentem contribuições nacionalmente determinadas mais ambiciosas
Banco Mundial/Dominic Sansoni
Secretário-geral das Nações Unidas pediu os países que apresentem contribuições nacionalmente determinadas mais ambiciosas

 

Para isso, o secretário-geral destacou como prioridade a criação de uma coalizão global para emissões líquidas zero até meados do século.  

Em segundo lugar, ele pediu que todos os países, com prioridade aos principais emissores,  apresentem contribuições nacionalmente determinadas mais ambiciosas para mitigação, adaptação e financiamento. 

Por fim, o líder das Nações Unidas realçou que esses planos precisam ser apoiados por ações e políticas concretas para a próxima década, que estejam alinhadas com as emissões líquidas zero até 2050. 

Escolha competitiva 

Guterres falou ainda do lançamento de uma iniciativa de transporte marítimo para inovação líquida zero, destacando que o novo empreendimento pode ajudar a mudar o curso nessa direção.  

Para ele, se o setor de transporte marítimo fosse um país, seria o sexto maior emissor de gases de efeito estufa do mundo.  

Nesse sentido, ele realçou que navios com emissões zero devem se tornar a escolha competitiva até 2030, e que “é preciso tomar medidas de mercado confiáveis” para se atingir esse propósito. 

O Clean Energy Ministerial é um fórum que pretende acelerar uma transição global para energia limpa. Este ano, o evento aborda desafios das mudanças climáticas no contexto da pandemia e as perspectivas de recuperação. 

Um dos pressupostos é que a América Latina é um dos mercados mais favoráveis para investimentos significativos em energia renovável. 

Laboratório de Hidrogênio da Ufrj também produz pilhas que geram energia limpa, sem combustão e emissão de poluentes.
UNIC Rio/Ana Rosa Alves
Laboratório de Hidrogênio da Ufrj também produz pilhas que geram energia limpa, sem combustão e emissão de poluentes.