29 abril 2021

Pandemia expôs brechas dos sistemas alimentares; Fundo da ONU para Agricultura sugere promoção de sistemas para impulsionar crescimento regional; este ano, Madagáscar viu dobrar desnutrição aguda em crianças menores de cinco anos. 

Instituições parceiras que intervém na área de desenvolvimento em África alertam para a situação de cerca de 246 milhões de pessoas correndo risco de passar fome. A situação ocorre apesar dos ganhos positivos e contínuos na economia em muitos países. 

Esta quinta-feira, o Diálogo de Alto Nível sobre Alimentação da África juntou instituições regionais e de pesquisa, líderes empresariais, setor privado, agências de investimento, academia, sociedade civil e especialistas. 

Mudança  

A análise de dados sobre o continente realça que a situação da pandemia Covid-19 expôs fissuras nos sistemas alimentares do continente, que já estava sob pressão da mudança climática, conflitos e pragas.  

PMA/Giulio d'Adamo
Mulheres cultivam a terra em Madagascar

 

Para o grupo de instituições, é necessário aumentar investimentos e parcerias com urgência para promover a transformação agrícola de África através da tecnologia e inovação.  

Na ocasião, o presidente do Fundo da ONU para Agricultura, Fida ou Ifad, Gilbert Houngbo, defendeu a promoção de sistemas alimentares como o motor de crescimento do continente africano. 

Entre os organizadores do evento Alimentando Africa: Líderes Impulsionando Inovações de Sucesso também estão o Banco Africano de Desenvolvimento, o Fórum para Pesquisa Agrícola em África e a Organização do Sistema Cgiar. 

Madagáscar  

Participaram chefes de Estado africanos, altos funcionários de governos e líderes de bancos multilaterais de desenvolvimento.  

ONU News/Daniel Dickinson
Cerca de 246 milhões de africanos correm o risco de passar fome

 

Um dos exemplos da crise é Madagáscar, onde centenas de milhares de pessoas estão à beira da fome. Num alerta feito em separado, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, aponta um aumento contínuo de taxas de desnutrição aguda. 

 A agência apela a uma ação urgente para ajudar a ilha do Oceano Índico a enfrentar a crise humanitária onde grande parte dos distritos do sul vive uma emergência nutricional. 

Desnutrição aguda  

A Desnutrição Aguda Global em crianças menores de cinco anos quase subiu para o dobro nos últimos quatro meses.  

O índice atingiu 16,5%, de acordo com uma avaliação recente realizada pelo Ministério da Saúde. 

Crianças estão em maior risco em áreas como Ambovombe, onde a taxa ultrapassou 27%. A situação coloca em risco a vida dos menores porque são quatro vezes mais propensas a morrer do que as crianças saudáveis. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud