Aviação na América Latina ainda enfrentará vários desafios para voltar ao normal 
BR

20 abril 2021

Presidente do Conselho da Organização da Aviação Civil Internacional, Icao, diz que redução de passageiros deve ser de 41% a 50% este ano comparada à queda de 60% ocorrida no mesmo período no ano passado. 

Líderes do setor de aviação civil na América Latina foram alertados para uma série de desafios à medida que a região começa a se recuperar da pandemia.  

Num evento, o presidente do Conselho da Organização da Aviação Internacional, Icao, afirmou que o setor deve voltar ao normal após fortes quedas no número de passageiros confinados pela Covid-19. 

Alinhamento 

Salvatore Sciacchitano discursou no evento Hermes Transporte Aéreo “Resiliência e eficiência por meio de liderança e cooperação” na era pós-Covid. 

Turistas, como estes no Aeroporto de Bangkok, ainda enfrentam muitas restrições de viagem devido às medidas de controle da pandemia
ONU News/Vibhu Mishra
Turistas, como estes no Aeroporto de Bangkok, ainda enfrentam muitas restrições de viagem devido às medidas de controle da pandemia

No ano passado, o número de passageiros caiu 60%. Este ano, a projeção de redução é de 41% a 50%, segundo o representante da Icao.  

Sciacchitano disse que a Força-Tarefa de Recuperação da Aviação identificou novas prioridades para ajudar o alinhamento internacional das medidas e promover uma cooperação público-privada mais eficiente entre governos e a indústria de aviação. 

A Força-Tarefa também emitiu diretrizes e recomendações para as estratégias de gerenciamento de riscos dos países.  

Certificados de vacina 

O grupo apoia a criação de corredores de saúde pública para viagem e a promoção de vacinação global além de serviços multilaterais de tráfego de cargas.  

O presidente do Conselho contou que essas medidas são a favor de certificados padronizados de testagem de Covid-19. 

Para os especialistas, os tripulantes também devem ter sua vacinação atualizada. Deve haver prioridades de segurança na recuperação do setor e um chamado para a aviação nacional civil e os encarregados de transporte advogarem, com mais vigor, para a saúde pública no transporte aéreo e outras prioridades econômicas. 

Passageiros com máscaras e ponchos descartáveis no Aeroporto Internacional Don Mueang, em Bangcoc, Tailândia.
ONU News/Jing Zhang
Passageiros com máscaras e ponchos descartáveis no Aeroporto Internacional Don Mueang, em Bangcoc, Tailândia.

Viagens mais seguras 

As implicações profundas e de longo prazo para os modelos tradicionais de transporte aéreo e operações pós-pandemia são uma preocupação para os líderes do setor.  

No momento, a discussão é se isso se deve à aceleração da digitalização ou a maiores expectativas dos passageiros por opções de viagem mais seguras e sustentáveis após a pandemia. 

O presidente do Conselho da Icao também falou dos níveis atuais de cooperação e informação sobre as estratégias de recuperação e as lições aprendidas pelos países durante a pandemia. 

Para ele, a Covid-19 não é só uma crise de saúde, mas também uma crise econômico-financeira para os governos. 

Em outubro, a Icao deve realizar uma conferência sobre a recuperação do setor.  

Salvatore Sciacchitano elogiou os países latino-americanos pela liberalização do acordo regional de carregamentos aéreos para aumentar o transporte da vacina e melhorar as condições de recuperação a longo prazo. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud