No início do Ramadã, Acnur pede solidariedade aos mais afetados por pandemia   BR

Crianças deslocadas aguardam pacotes de comida do Ramadã no acampamento Jalozai, no Paquistão
ONU
Crianças deslocadas aguardam pacotes de comida do Ramadã no acampamento Jalozai, no Paquistão

No início do Ramadã, Acnur pede solidariedade aos mais afetados por pandemia  

Assuntos da ONU

Mês de jejum dos muçulmanos começa neste 12 de abril; chefe da Agência da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, lembra dos mais vulneráveis e que 85% dos deslocados e refugiados são acolhidos em países de rendas baixa e média; agência lançou campanha “Cada Segundo Conta”. 

Uma agência das Nações Unidas divulgou um comunicado pedindo solidariedade para marcar o início do mês de jejum dos muçulmanos,  Ramadã, que começa neste 12 de abril. 

Filippo Grandi, chefe da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, diz que é preciso lembrar de milhões de deslocados internos e afetados pela pandemia de Covid-19. 

Planos 

Para Grandi, o momento é de demonstrar solidariedade e de incluí-los nos programas de vacinação e planos de recuperação da crise. 

Uma refugiada síria que mora na Jordânia lê o Alcorão com seu filho em sua casa em Amã
Acnur/Mohammad Hawari
Uma refugiada síria que mora na Jordânia lê o Alcorão com seu filho em sua casa em Amã


Segundo a ONU, 85% dos deslocados internos e refugiados são acolhidos por países de rendas baixa e média. 

São pessoas com grandes necessidades de educação, apoio psicossocial e mental, proteção contra violência doméstica e de gênero e a crianças. 

Grandi afirma que o Ramadã é um momento de reflexão profunda e de generosidade por parte dos muçulmanos.  

Campanha 

Por causa da pandemia, muitos refugiados perderam seus meios de subsistência e foram lançados na extrema pobreza. 

Refugiados e requerentes de asilo de diferentes países quebram o jejum do Ramadã na Sociedade de Órfãos Al Amal em Amã, Jordânia
Acnur/ Benoit Almeras
Refugiados e requerentes de asilo de diferentes países quebram o jejum do Ramadã na Sociedade de Órfãos Al Amal em Amã, Jordânia

O Acnur afirma que três de quatro refugiados em todo o mundo não conseguem obter metade do que precisam para suas carências básicas. 

Para coincidir com o mês de jejum dos muçulmanos, o Acnur lançou a campanha “Cada Segundo Conta”  “Every Second Counts” para atender a quem precisa inclusive com as refeições que são consumidas ao anoitecer. 

Esta é a terceira campanha global durante o Ramadã para ajudar famílias deslocadas e refugiados pelo mundo. O objetivo é arrecadar US$ 10 milhões.