ONU marca Dia Internacional para Conscientização sobre Minas
BR

4 abril 2021

Em 2019, cerca de 2,2 mil pessoas morreram em explosões e mais de 5,5 mil ficaram feridas; secretário-geral da ONU pediu aos países que ainda não assinaram para firmar Convenção sobre Proibição de Minas Antipessoais; mais de 160 nações aderiram ao documento. 

 

Este 4 de abril é o Dia Internacional para Conscientização e Assistência na Ação contra Minas. A data foi declarada pela Assembleia Geral em 2005. 

 
Em mensagem, o chefe da ONU, António Guterres, afirmou que é preciso refletir sobre o trabalho realizado para chamar a atenção para os perigos representados pelas minas e renovar o compromisso com um mundo livre desses explosivos. 

Comunidade de ação contra as minas das Nações Unidas intensificou os esforços para acabar com a ameaça de artefatos explosivos improvisados.
ONU/Martine Perret
Comunidade de ação contra as minas das Nações Unidas intensificou os esforços para acabar com a ameaça de artefatos explosivos improvisados.

Soluções pacíficas

 

Minas terrestres, remanescentes de explosivos de guerra e dispositivos improvisados, afetam de forma desproporcional as pessoas vulneráveis, os deslocados internos e as crianças. 

  

As minas ainda impedem soluções pacíficas e respostas humanitárias além de ser um obstáculo para o desenvolvimento inclusivo e sustentável. 

  

Para marcar o Dia Internacional, as Nações Unidas inauguraram uma exposição retratando sobreviventes e agentes de desminagem de explosivos. 

  

A mostra revela como mulheres e homens vivem desafios diários de encontrar e desarmar minas terrestres para homenagear profissionais de desminagem e sobrevivente.  
 

Apesar dos obstáculos impostos pela pandemia, Unmas adaptou-se ao novo cenário e continuou conquistando resultados positivos.
Foto Unmas
Apesar dos obstáculos impostos pela pandemia, Unmas adaptou-se ao novo cenário e continuou conquistando resultados positivos.

Pandemia

 

Mesmo durante a pandemia, os agentes de desminagem continuaram trabalhando.  Há 20 anos, as Nações Unidas criaram o Serviço de Ação contra Minas, Unmas na sigla em inglês, que coordena o trabalho de desminagem em todo o globo. O grupo assiste países com tecnologia e estratégias contra a ação de minas. 

  

O chefe da ONU, António Guterres, afirmou que milhares de explosivos foram encontrados e destruídos; centenas de milhares de metros quadrados de terra foram limpos e colocados em uso produtivo, e milhões de pessoas que viviam ou voltavam para áreas contaminadas receberam educação sobre o risco de material bélico explosivo e orientações de prevenção.  

 

Em apenas 2019, cerca de 2,2 mil pessoas morreram nessas explosões e acima de 5,5 mil pessoas ficaram feridas. Os homens são mais de 80% das vítimas terrestres. 

  

A oposição da sociedade civil ao uso de minas aumentou no início da década de 90, quando ativistas pediram a organizações internacionais que condenassem esse tipo de armamento. Em 1997, a ONU aprovou a Convenção sobre a Proibição de Minas. 

 
Para a organização, o desafio em 2021 para ações contra minas é continuar se adaptando às novas realidades com perseverança para assegurar um mundo inteiramente livre de minas terrestres. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud