Em Moçambique, vacinas da Covax acendem expectativas de fim da pandemia
BR

9 março 2021

País recebeu carregamento com 384 mil unidades do mecanismo global; registros de coronavírus ultrapassam 62 mil infectados e 693 mortes; Unicef entregou parte do lote das 2,4 milhões de doses a ser concluídas até o final de maio.

Moçambique recebeu o primeiro lote com cerca de 384 mil doses de vacinas da AstraZeneca, como parte da iniciativa Covax. 

Na segunda-feira, o Fundo da ONU para Infância, Unicef, fez a entrega do carregamento às autoridades do país em nome do mecanismo global. Até maio, cerca de 2,4 milhões de unidades deverão chegar ao território moçambicano.

UNICEF
Unicef fez a entrega do carregamento de vacinas contra COVID-19 às autoridades de Moçambique

Populações

A ONU News ouviu cidadãos de diferentes áreas do país que expressaram expectativas em relação ao imunizante. Na vila do Songo, província central de Tete, o ambientalista Binte Insa contou que a vacina pode ajudar a salvar as populações.

“Já começo a desenhar Moçambique fora da terceira vaga da Covid. Penso que todas as famílias moçambicanas sofreram um embate muito grande. Começamos a ter rostos muito conhecidos, amigos vizinhos, colegas de trabalho, irmãos e muitos dos casos chagaram até a morte. Portanto, esta vacina pode ser uma salvação para o povo moçambicano.”

Na campanha de imunização, Moçambique deverá dar prioridade a profissionais de saúde, idosos e pessoas com problemas de saúde preexistentes pela vulnerabilidade destes grupos em contrair a Covid-19.

O escritor e docente universitário Lucílio Manjate disse que as populações não devem baixar a guarda com a chegada das vacinas. A iniciativa global pretende garantir uma distribuição equitativa aos países de rendas baixa e média.

Unicef/Francis Kokoroko/Covax
Plano da Iniciativa Covax prevê fornecer cerca de 2 bilhões de doses de vacinas este ano

Medidas

“Eu julgo que é um sinal de esperança de sairmos vitoriosos deste combate a esta pandemia, se nós pensarmos que os esforços que o governo está a empreender para adquirir vacinas. Mas devem ser combinados com o redobrar das medidas de prevenção de cada cidadão moçambicano.”

Mais de 62,7 mil casos da Covid-19 já foram confirmados no país. A chegada do imunizante coincide com a reabertura de aulas presenciais, interrompidas há cerca um ano como parte dos esforços de combate à pandemia. 

A medida abrange instituições de ensino primário, secundário, técnico-profissional e superior que tiveram a aprendizagem presencial interrompida no âmbito da Situação de Calamidade Pública ainda em vigor.

PMA/Rafael Campos
O distanciamento social está sendo praticado em centro de reassentamento no distrito de Dondo, como parte dos esforços em Moçambique para combater a propagação da Covid-19.

Esperança 

Para a representante do Unicef em Moçambique, Maria-Luisa Fornara, a chegada da vacina “semeia esperança para todos”. Ela disse acreditar que em breve o sofrimento poderá acabar.

Além de vacinas, a iniciativa Covax mobiliza recursos para permitir um acesso equitativo a diagnósticos e tratamentos. Entre os mais de 30 doadores estão Estados Unidos, União Europeia, Reino Unido, Japão, Canadá e Alemanha.

De Maputo para ONU News, Ouri Pota.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Experiência feminina orientou resposta internacional à Covid-19 em Moçambique

A coordenadora residente e chefe do Sistema das Nações Unidas em Moçambique, Myrta Kaular, disse que a resposta à Covid-19 no país teve uma atenção particular para as mulheres, que foram mais afetadas durante a crise de saúde. Esta segunda-feira, 8 de março, a ONU marca o Dia Internacional da Mulher, com o tema “Mulheres na liderança: Alcançando um futuro com igualdade num mundo de Covid-19".

OMS encerra segunda semana de envio de vacinas contra Covid da parceria Covax  

Mecanismo da Organização Mundial da Saúde e parceiros quer entregar 2 bilhões de doses a países de rendas baixa e média contra o novo coronavírus; Colômbia foi a primeira a receber nas Américas; Gana, a primeira africana; diretora-assistente da agência, médica brasileira Mariângela Simão, fala em marco para equidade.