Alto Comissariado para Direitos Humanos pede prova de vida de princesa Latifa Al-Maktoum 
BR

19 fevereiro 2021

Filha do governante de Dubai não é vista em público desde 2018, quando tentou abandonar o país; em vídeos divulgados nessa semana, ela diz estar sendo mantida refém; escritório da ONU pediu esclarecimentos.  

O Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos pediu uma prova de vida e mais informações sobre o paradeiro da princesa Latifa Al-Maktoum do Dubai.  

Segundo agências de notícias, a princesa não é vista em público desde 2018, quando tentou fugir do país. Essa semana, foram divulgados vídeos em que ela diz estar sendo mantida refém.  

Esclarecimentos 

Falando a jornalistas em Genebra, a porta-voz do Alto Comissariado, Elizabeth Throssell, levantou “preocupações sobre a situação à luz das perturbadoras evidências de vídeo que surgiram esta semana.” 

Segundo ela, o Alto Comissariado pediu mais informações e esclarecimentos sobre a situação atual de Latifa. 

Unsplash/Nathan John
Segundo agências de notícias, a princesa não é vista em público desde 2018, quando tentou fugir do Dubai

Throssel explicou que esta é uma função padrão do escritório, que deve buscar esclarecimentos sobre casos individuais dentro de seu mandato, incluindo casos que tenham atraído um foco mais amplo.  

Resposta 

Dada esta séria preocupação com a princesa Latifa, o Alto Comissariado pede que “a resposta do governo seja uma questão prioritária.” 

O escritório espera receber e considerar a resposta e, enquanto isso, continua monitorando e avaliando a situação de perto.  

A porta-voz lembrou ainda uma nota do Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários, publicada em dezembro de 2020. Na altura, o Grupo decidiu esclarecer a situação, dizendo que “está supostamente mantido em detenção incomunicável em casa de sua família em Dubai.” 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Conselho de Direitos Humanos pede libertação imediata de detidos em Mianmar  

Em resolução aprovada esta sexta-feira, Estados-membros lamentam destituição de Governo democraticamente eleito e pedem que todas as partes se abstenham e violência; ONU irá continuar com ajuda humanitária no país, onde no ano passado deu assistência alimentar a 930 mil pessoas.