No Haiti, 40% das pessoas precisam de ajuda humanitária 
BR

17 fevereiro 2021

Segundo agência da ONU, mais de 4,4 milhões de haitianos devem enfrentar insegurança alimentar em 2021; crise econômica, política, pandemia de Covid-19 e desastres naturais contribuíram para agravar a situação.  

O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, estima que 40% dos cidadãos do Haiti precisarão de assistência em 2021. 

Em um país de 11,4 milhões de habitantes, mais de 4,4 milhões de pessoas podem sofrer insegurança alimentar este ano. 

Crise 

O número de pessoas com necessidades aumentou 79% em comparação com fevereiro de 2020, quando 2,6 milhões precisavam de ajuda. 

Minujusth/Leonora Baumann
Dias depois das demonstrações, ruas da capital do país continuam com poucas pessoas

Segundo o escritório da ONU, uma série de choques sociopolíticos extremos que acontecem desde 2018 afetaram significativamente a fragilidade que já existia e a resiliência das pessoas. 

Além da crise econômica e sociopolítica, a pandemia de Covid-19 e os efeitos de desastres naturais, como a tempestade tropical Laura que atingiu o país em agosto passado, contribuíram para o agravar da situação.  

O Ocha destaca ainda o aumento dos incidentes de insegurança, incluindo sequestros e confrontos entre gangues armadas que resultaram em mortes de civis, queima de casas e deslocamento da população. 

Protestos 

Ao mesmo tempo, manifestações e greves públicas continuaram a paralisar os serviços básicos, interromperam o setor de transportes e forçaram o fechamento de empresas e instituições públicas.  

O Ocha avisa, no entanto, que a normalidade está voltando lentamente. 

A maioria das escolas está fechada desde a primeira semana de fevereiro, mas há indicações de que podem reabrir já essa semana, se a situação de segurança permitir. 

A situação de 500 famílias deslocadas internamente que fugiram da violência de gangues em agosto de 2020 está se deteriorando devido a condições de vida inadequadas e riscos de proteção. 

Foto ONU/Leonora Baumann
Algumas das preocupações são implicações para o acesso a serviços de saúde, educação e alimentação.

As organizações humanitárias, em coordenação com as autoridades locais, estão respondendo às suas necessidades urgentes de abrigo, alimentos, itens não alimentares, saneamento, água, higiene, proteção e saúde. 

A Organização Internacional para a Migração, OIM, também está desenvolvendo um plano de realocação de emergência para as famílias. 

Apelo 

Em 2020, 1,4 milhão de pessoas no Haiti receberam assistência humanitária como parte do Plano de Resposta Humanitária. 

O apelo apenas recebeu US$ 155,7 milhões dos US$ 472 milhões solicitados. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Aumento de insegurança e violência urbana no Haiti preocupa Nações Unidas 

Escritório de Direitos Humanos divulgou nota dizendo que pobreza e desigualdades estruturais combinadas a crescentes tensões políticas podem levar a repressão policial e outras violações de direitos humanos.