Zona de Comércio Continental Africano abre portas com adesão de mais cinco países  BR

Novo acordo comercial entrou em vigor no início do ano
Banco Mundial/John Hogg
Novo acordo comercial entrou em vigor no início do ano

 Zona de Comércio Continental Africano abre portas com adesão de mais cinco países 

Desenvolvimento econômico

Parceria da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África e a Comissão da União Africana aprofundam a integração comercial no continente; Comissário do Bloco Regional realça engajamento político da liderança Africana na realização dos objetivos.

Mais cinco países pretendem ratificar o Acordo da Zona de Comércio Livre Continental Africano, juntando-se às 35 nações que já depositaram seus instrumentos de ratificação.

O Acordo é implementado pela Comissão Econômica da ONU para a África, ECA, em parceria com a Comissão da União Africana.  

Empenho

A manifestação de interesse da Zâmbia, Tanzânia, Somália, Argélia e Marrocos foi tornada pública pelo Comissário da União Africana para o Comércio, Albert Muchanga, durante uma conferência de investimento.

Muchanga destacou a vontade política demostrada pela liderança do continente em atingir a meta e disse ter garantias seguras que em devido momento os países vão depositar seus instrumentos de ratificação.

Acordo deve melhorar comércio no continente africano
Banco Mundial/Rob Beechey
Acordo deve melhorar comércio no continente africano

O Acordo visa criar a maior área mundial de comércio livre, aprofundar a integração comercial africana e acredita-se que possa inaugurar uma nova era de desenvolvimento no continente.

A iniciativa vai congregar mais de 1.2 bilhão de pessoas com um PIB estimado em mais de US$ 2.5 trilhões.

Adesão

A ação iniciou a 1 de janeiro deste ano depois de ter sido adiada por seis meses, no ano passado, devido à Covid-19. O tratado foi assinado por todos os países Africanos exceto a Eritreia.

O acordo entrou em vigor a 30 de maio de 2019, ou seja, 13 meses depois da sua assinatura quando 22 Estados o ratificaram. O número era o mínimo necessário para que o tratado pudesse produzir efeito, disse Muchanga. Ele atribuiu ainda a conquista a um elevado comprometimento político dos chefes de estado e governo do continente.  

Entrada em vigor do comércio livre foi adiada devido à Covid-19
FAO
Entrada em vigor do comércio livre foi adiada devido à Covid-19

A Comissão Económica da ONU para a África tem vindo a trabalhar com a Comissão da União Africana e Estados-membros para aprofundar a integração comercial do continente e implementar o acordo de forma efetiva através de advocacia política e desenvolvimento de estratégia nacional.

A ECA trabalha também em estreita colaboração com o Centro de Comércio Internacional, ITC, a Conferência da ONU sobre o Comércio e Desenvolvimento, Unctad, e vários especialistas independentes. A ação de implementação é financiada pela União Europeia.

O Acordo visa criar a maior área mundial de comércio livre, aprofundar a integração comercial africana e acredita-se que possa inaugurar uma nova era de desenvolvimento no continente.

A iniciativa vai congregar mais de 1.2 bilhão de pessoas com um PIB estimado em mais de US$ 2.5 trilhões.

*De Bissau para a ONU News, Amatijane Candé.