Pfizer entra para a iniciativa da OMS para distribuir vacinas contra a Covid-19  
BR

22 janeiro 2021

Agência da ONU anunciou contratos para comprar até 40 milhões de doses da vacina; OMS também deve adquirir 100 milhões de doses da imunização desenvolvida pela AstraZeneca e Universidade de Oxford, que ainda está em fase de aprovação; objetivo é imunizar 2 bilhões de pessoas até final do ano.  

A Covax, a iniciativa global para garantir acesso rápido e equitativo às vacinas para a Covid-19, anunciou um acordo com a Pfizer para comprar até 40 milhões de doses da vacina. 

A iniciativa também confirmou a compra das primeiras 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela AstraZeneca e Universidade de Oxford, que está aguardando aprovação pela Organização Mundial da Saúde, OMS.  

Cientistas testam amostras no Instituto Jenner, da Universidade de Oxford, University of Oxford/John Cairns

Acesso 

De acordo com a atualização da agência, a decisão deve ser conhecida em meados de fevereiro. Destas primeiras 100 milhões de doses, a maioria deve ser entregue no primeiro trimestre do ano. 

A Aliança de Vacinas Gavi é responsável pela aquisição e entrega das vacinas para a Covax. Em comunicado, o diretor executivo da Gavi, Seth Berkley, disse que “este é um grande passo em frente para o acesso equitativo às vacinas e uma parte essencial do esforço global para vencer esta pandemia.” 

Já o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que “a distribuição urgente e equitativa de vacinas não é apenas um imperativo moral, é também um imperativo de segurança sanitária, estratégico e econômico.” 

Segundo ele, “este acordo com a Pfizer ajudará a capacitar a Covax para salvar vidas, estabilizar os sistemas de saúde e impulsionar a recuperação econômica global.” 

Confiança 

Por sua vez, a diretora executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, Henrietta Fore, disse que “esses acordos de compra abrem a porta para que essas vacinas se tornem disponíveis para as pessoas nos países mais vulneráveis.” 

Universidade de Oxford/John Cairns
Iniciativa também quer promover o acesso às vacinas

Ao mesmo tempo, a chefe da agência contou que é preciso “garantir que os países estejam prontos para receber as vacinas, implantá-las e construir confiança.” 

Até o final deste mês, a Covax pretende fornecer uma alocação indicativa de doses a todos os Estados participantes. Com esses números, os países poderão iniciar os preparativos de suas campanhas.  

Com estes novos contratos, a iniciativa tem acordos para comprar pouco mais de dois bilhões de doses vacinas, algumas ainda não aprovadas.   

A vacina contra Covid-19 da Pfizer-BioNTech foi a primeira a ser autorizada em alguns países, by BioNTech

O objetivo é proteger pelo menos 20% da população até o final do ano, a menos que algum participante tenha solicitado uma porcentagem menor de doses. 

Pelo menos 1,3 bilhão dessas doses estarão disponíveis para as 92 economias elegíveis até o final de 2021. 

Preparação 

Neste trabalho, a OMS está fazendo parceria com a Coalizão para Preparação Contra Pandemias, Cepi na sigla em inglês. Em comunicado, o diretor executivo da Cepi disse que “o surgimento de novas variantes coloca em foco a necessidade de estar um passo à frente do vírus, continuando a investir em pesquisa e desenvolvimento de vacinas.” 

Segundo Richard Hatchett, a comunidade internacional precisa continuar investindo, especificamente em vacinas de próxima geração, para estar pronta “para mudanças de cepas e garantir que tem ferramentas para atender às necessidades de todas as populações em todos os países a longo prazo.” 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS: decisão dos EUA de apoiar coalizão global de vacinas ajudará a vencer pandemia

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Ghebreyesus, saudou passo dado pelo novo presidente Joe Biden; em reunião virtual nesta quinta-feira, em Genebra, representante do governo americano, o médico Anthony Fauci, informou que o país vai aderir ao esforço global do mecanismo de vacinas Covax para derrotar a Covid-19.