Crianças desacompanhadas integram caravana de migrantes da América Central
BR

22 janeiro 2021

Agências humanitárias da ONU na Guatemala e em Honduras fornecem apoio após chegada de caravanas a caminho dos Estados Unidos; pelo menos 80 crianças hondurenhas estavam viajando sozinhas; milhares estão retornando voluntariamente.

O porta-voz do secretário-geral da ONU informou que várias agências da organização estão atuando com autoridades centro-americanas para proteger milhares de migrantes a caminho dos Estados Unidos em caravanas, a maioria de Honduras. 

O Sistema da ONU na capital de Honduras, Tegucigalpa, disse que pelo menos 80 crianças estavam viajando desacompanhadas.

Foto: UNICEF/Adriana Zehbrauskas
Refugiada de Honduras com seu bebê em abrigo no México.

Covid-19

Stephane Dujarric afirmou que as equipes da ONU na Guatemala estão atuando com parceiros em planos de contingência para proteger os migrantes. Entre elas o Unicef e o Escritório da ONU para Direitos Humanos, além da Agência Internacional para Migrações, OIM.

Uma das preocupações é a situação de crianças assim como a distribuição de água, alimentos e kits de higiene para combater também os riscos de contaminação com a Covid-19.

A chefe do Sistema ONU na Guatemala, Rebeca Arias, contou que está em contato com o governo sobre o apoio necessário às autoridades e aconselhamento técnico a respeito da assistência aos migrantes. Foi criado também um programa de retorno voluntário que está sendo acompanhado pela ONU.

© Acnur/Diana Diaz
Uma refugiada que fugiu da violência de gangues várias vezes em Honduras começa novamente em Belize, em janeiro de 2019

Causas da migração

Já em Honduras, de onde partiu a maioria dos migrantes da caravana que chegou à Guatemala a caminho dos Estados Unidos, a ONU tem coordenado a preparação do programa de retorno voluntário ao lado de parceiros e ONGs internacionais assim como das autoridades hondurenhas.

Até o momento, 1,5 mil migrantes incluindo crianças estão preparados para voltar.

Mas para a ONU, é preciso refletir sobre as causas estruturais da migração que incluem pobreza, desigualdade e o impacto da Covid-19 especialmente após duas tempestades tropicais terem afetado a América Central no ano passado.

As Nações Unidas também pediram mais apoio ao Pacto para a Migração Segura, Ordenada e Regular.

Opas/Victor Sanchez
Uma das preocupações é a situação de crianças assim como a distribuição de água, alimentos e kits de higiene para combater também os riscos de contaminação com a Covid-19

Trauma

A representante da ONU em Honduras, Alice Shackleford, informou que muitos hondurenhos já começaram a voltar da Guatemala. 

A ONU em Honduras está fornecendo assistência médico-psicológica aos migrantes, uma vez que muitas crianças que chegaram estão exaustas da jornada, sofrendo trauma emocional e algumas até mesmo feridas fisicamente.

Nesta quinta-feira, a chefe da ONU na Guatemala disse que cerca de 3 mil mulheres, homens e crianças já voltaram à Honduras, mas as agências da ONU estão prestando apoio a 100 pessoas que permanecem num abrigo, localizado a 250 km da Cidade da Guatemala.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Norte da América Central teve continuação ou até piora de violência de gangues

Estudo de agências da ONU pede mais proteção para pessoas que escapam do problema; taxas subiram mais de 456% entre 2018 e 2019; Mais de 800 mil pessoas de El Salvador, Guatemala e Honduras procuram proteção dentro e fora dos seus países.

Guterres diz que “migração segura, ordenada e regular é do interesse de todos”

Nações Unidas marcam esta quarta-feira Dia Internacional dos Migrantes; cerca de 272 milhões de homens e mulheres vivem fora de seus países; secretário-geral destacou narrativas “prejudiciais e falsas” sobre o tema.