Organização Pan-Americana da Saúde reforça equipe em Manaus contra crise de Covid-19 
BR

19 janeiro 2021

Estado do Amazonas sofre colapso do sistema de saúde, acumulando recordes de casos do novo coronavírus e mortes por falta de oxigênio nos hospitais; além da Opas, várias agências da ONU estão no terreno ajudando os grupos mais vulneráveis. 

O Sistema da ONU no Brasil está apoiando o estado do Amazonas que vive uma crise de saúde com o aumento do número de casos e mortes pela Covid-19. 

Em nota, a equipe da ONU no país, chefiada por Niky Fabiancic, informou que várias agências já estão em Manaus, capital do Amazonas, para cooperar com autoridades locais.  

Nova equipe da Opas chega essa semana a Manaus. Foto: Banco Mundial/Mariana Ceratti

Apoio 

Muitos pacientes do novo coronavírus estão morrendo por falta de oxigênio nos hospitais. A informação foi dada pelo porta-voz do secretário-geral da ONU em Nova Iorque, Stephane Dujarric. 

O porta-voz contou que uma equipe da Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, em Manaus, apoiando os esforços de autoridades locais, estaduais e federais. Um novo grupo da Opas deve chegar ainda esta semana para acompanhar a atuação  

Segundo o porta-voz, uma nova equipe da Opas e da OMS chega a Manaus essa semana. Os funcionários devem acompanhar o extenso trabalho de todas as agências da ONU, com foco no norte do Brasil. 

Por sua vez, o Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, adquiriu 60 cilindros de oxigênio na última sexta-feira, em resposta às solicitações das autoridades locais. O objetivo é cuidar de recém-nascidos e mulheres internadas em maternidades e com extrema necessidade de oxigênio. 

Opas apoia os esforços de autoridades em Manaus. Foto: Banco Mundial/Mariana Ceratti

Populações 

Já o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, entregou 250 kits dehigiene e 250 cestas básicas para indígenas. A agência ​​também entregou mais de 60 mil kits de higiene, 101 mil máscaras e 575 mil sabonetes.  

Esses equipamentos destinam-se a pessoas vulneráveis, moradores de rua, indígenas, comunidades ribeirinhas, idosos e pessoas vivendo em abrigos. Famílias venezuelanas de refugiados e migrantes também foram beneficiadas. 

Por sua vez, a Organização Internacional para Migrações, OIM, tem trabalhado para mitigar a transmissão do vírus entre comunidades indígenas e ribeirinhas. Desde o início do ano, 2,6 mil kits de higiene e limpeza foram distribuídos para redes de saúde em duas regiões amazônicas do Amazonas e de Roraima. 

Até esta segunda-feira, tinham sido confirmados mais de 8,4 milhões de casos no Brasil. Com mais de 209 mil mortos, o país é a segunda nação com mais vítimas mortais, depois dos Estados Unidos.  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe da OMS alerta contra “fracasso moral” da vacinação contra Covid-19 

Até o momento, mais de 39 milhões de doses foram administradas em pelo menos 49 países de alta renda; já na Guiné-Conacri, uma nação de baixa renda, apenas 25 doses foram distribuídas, diz chefe da agência, Tedros Ghebreyesus.