Nações Unidas profundamente preocupada com ataques crescentes na Venezuela
BR

15 janeiro 2021

Porta-voz do Escritório de Direitos Humanos disse que violência a entidades da sociedade civil, defensores de direitos humanos e jornalistas tem aumentado; incidente de 12 de janeiro foi o segundo em dois meses contra uma ONG humanitária.

As Nações Unidas expressaram preocupação com o aumento de ataques a civis na Venezuela. 

O último ocorreu na terça-feira no estado de Zulia, quando integrantes da contrainteligência militar e da polícia regional realizaram uma batida na ONG humanitária Azul Positivo.

Helena Carpio/IRIN
Manifestantes em Caracas, na Venezuela.

Advogados e famílias

A porta-voz do Escritório de Direitos Humanos da ONU, Marta Hurtado, falou sobre ataques crescentes a jornalistas, defensores de direitos humanos e organizações da sociedade civil. 

Segundo ela, documentos foram apreendidos e seis funcionários da ONG foram presos. Cinco seguem detidos e nenhum foi autorizado a se comunicar com suas famílias ou advogados.

Ela contou que esta é a segunda vez, em dois meses, que uma entidade humanitária é vasculhada por forças de segurança e tem seus empregados questionados a respeito de financiamento recebido do exterior.

A porta-voz afirmou que os países não podem impor restrições à habilidade das ONGs de receberem auxílio doméstico, estrangeiro e de fontes internacionais.  

Foto: Unicef/Velasquez
Um garoto pede esmola nas ruas de Caracas, capital da Venezuela.

Criminosos

Para Marta Hurtado é ainda mais preocupante que essas batidas tenham sido acompanhadas de declarações de funcionários públicos na Venezuela pedindo que as entidades de sociedade civil e os funcionários sejam declarados criminosos.

Desde 8 de janeiro, pelo menos três locais foram alvejados pela operação policial que confiscou equipamentos, intimidou os trabalhadores e interditou os escritórios. Estas batidas ocorreram após jornalistas terem sido assediados moralmente e intimidados. 

As autoridades venezuelanas também emitiram comunicados deslegitimando a mídia.

Domínio Público
Autoridades venezuelanas emitiram comunicados deslegitimando a mídia

Democracia e jornalistas

Com isso, muitos jornalistas com medo começaram a praticar autocensura para escapar da violência no país.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU pediu às autoridades da Venezuela que parem de perseguir as pessoas que estão trabalhando honestamente estejam elas no setor humanitário, de direitos humanos ou na imprensa.

A porta-voz concluiu lembrando que uma sociedade civil diversa, livre e ativa é fundamental para qualquer democracia e tem que ser protegida e não estigmatizada.
 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU pede libertação imediata de dezenas de pessoas detidas em Hong Kong

Escritório de Direitos Humanos expressou preocupação com prisão de mais de 50 ativistas políticos, acadêmicos, ex-legisladores, vereadores e advogados na quarta-feira; aprovação de nova Lei de Segurança Nacional, em junho, levou a meses de protestos de rua.

ONU lamenta morte de 21 venezuelanos em naufrágio no Caribe

Em comunicado, alta comissária de direitos humanos, Michelle Bachelet, disse que esta é uma das maiores perdas de vida de refugiados e migrantes da Venezuela a caminho de Trinidad e Tobago; grupos de busca e resgate estão no local.