RCA: situação “relativamente calma” após resultados provisórios de eleição  
BR

6 janeiro 2021

Missão da ONU na República Centro-Africana, Minusca, fala em combatentes armados em Bangassou, onde patrulhas tentam proteger civis; segundo agências de notícias, president Faustin Archange Touadera ganhou votação de 27 de dezembro. 

A Missão da ONU na República Centro Africana, Minusca, disse que a situação de segurança na capital do país, Bangui, permanece relativamente calma.   

Na segunda-feira, a Autoridade Eleitoral Nacional anunciou os resultados provisórios das eleições de 27 de dezembro, que teriam sido vencidas pelo presidente Faustin Archange Touadera, segundo agências de notícias. 

Trabalhadores carregam urnas de voto nas eleiçoes de 27 de dezembro, Minusca/Leonel Grothe

Segurança 

A Minusca informou que existem combatentes armados na cidade de Bangassou, mas as forças de paz da missão estão patrulhando a área. 

Na segunda-feira, o subsecretário-geral das Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix, juntamente com altos funcionários da União Africana, da Comissão Económica dos Estados da África Central, Cedeao, e da União Europeia foram informados do resultado. 

Em declaração conjunta, eles lembraram que o Tribunal Constitucional do país irá proclamar os números finais e apelaram a todos os atores políticos para que respeitem as decisões do Tribunal. 

Os altos funcionários afirmaram que os cidadãos centro-africanos “demonstraram a sua determinação em exercer o seu direito de voto, apesar dos muitos obstáculos” e reiteraram seu apelo para que as disputas se resolvam pacificamente e de acordo com a lei. 

Boinas-azuis da Minusca realizando patrulha, Foto ONU/Herve Serefio

Eles exortaram também o governo nacional e toda a classe política a “favorecer um diálogo político inclusivo, aberto, construtivo e credível para promover a estabilidade nacional.” 

Divisão 

As autoridades condenaram “veementemente os discursos e declarações de desinformação, ódio e incitamento à violência, bem como a violência perpetrada por certos grupos armados com o objetivo de comprometer o processo eleitoral.” 

Eles destacaram ainda violações do Acordo de Paz cometidas por grupos armados e pediram que todas as partes honrem seus compromissos. 

Lacroix e os outros representantes pediram ainda o relançamento do processo de paz, com destaque para prestação de contas porque “a impunidade não é uma opção viável.” 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Soldados de paz morrem em ataque antes da votação na República Centro-Africana

ONU confirma que três boinas azuis do Burundi perderam a vida após ação de homens armados não identificados; tensões entre forças do governo e rebeldes aumentam na preparação para o domingo de eleições gerais.