Banco Mundial aprova projeto sobre sustentabilidade no estado do Amazonas 
BR

14 dezembro 2020

Parceria traz ações de conservação e uso sustentável da Floresta Amazônica, além da reforma da Previdência do estado, um dos mais afetados pela pandemia no Brasil. 

O Banco Mundial aprovou projeto de US$ 200 milhões para o estado do Amazonas. A iniciativa apoiará reformas destinadas a promover a sustentabilidade fiscal e, ao mesmo tempo, promover a conservação e o desenvolvimento florestais. Dessa forma, será possível ajudar o estado a ter uma recuperação econômica inclusiva no pós-pandemia.  

 O Amazonas foi um dos estados mais impactados pela Covid-19 e, antes da pandemia, já tinha um dos níveis de pobreza mais altos do país. Estima-se que quase 40% da população vivam com menos de US$ 5,50 por dia ou aproximadamente R$ 30.  

Inclusão 

 O novo projeto promoverá a inclusão social aumentando de 9,6 mil para 12 mil o número de famílias pobres atendidas pelo Programa Bolsa Floresta. Essa é uma iniciativa pioneira para remunerar famílias vulneráveis em comunidades que protegem as florestas, especialmente no sul do Amazonas, onde ocorre 80% do desmatamento ilegal. 

 Além disso, o projeto apoiará o lançamento do programa de concessões florestais do estado, de modo a conciliar uso sustentável e proteção da Amazônia. A primeira concessão será criada até 2022, com 60 mil hectares, gerando mais de 500 empregos verdes.   

Por meio do projeto, ainda será possível fortalecer os planos de monitoramento, alerta precoce e combate ao desmatamento e aos incêndios florestais. E, finalmente, melhorar os sistemas de regularização ambiental e fundiária. Assim, a capacidade de validação anual de cadastros ambientais rurais poderá aumentar de 11 para 2,1 mil em dois anos. 

Banco Mundial/Mariana Ceratti
Cidade de Manaus, no Amazonas, Brasil.

Emissões 

Com a diminuição do desmatamento, o projeto permitirá a redução das emissões de gases de efeito estufa equivalentes a cerca de 11% das metas nacionalmente determinadas do Brasil no Acordo de Paris. 

 Na parte de sustentabilidade fiscal, a iniciativa apoiará a reforma da Previdência do Amazonas, que unificará o sistema entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, aumentando a transparência. A reforma gerará uma economia de cerca de R$ 200 milhões, reduzindo em 11% o déficit fiscal estimado para 2022. 

 Ao longo da próxima década, calcula-se que as reformas apoiadas pelo projeto gerem uma economia fiscal acumulada de R$ 1,9 bilhão. Com isso, o Amazonas poderá ter recursos suficientes para investir em infraestruturas e em serviços públicos de educação e saúde.  

Por Mariana Ceratti, do Banco Mundial Brasil 

Banco Mundial/Mariana Ceratti
Opas está apoiando os esforços de autoridades em Manaus

  

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Banco Mundial e Sebrae-SP analisam impacto da pandemia sobre empresas lideradas por mulheres

Estudo mostra que empreendedoras tiveram maior perda de faturamento, mas ainda assim evitaram demitir; elas estiveram mais propensas a adotar protocolos de saúde.

Banco Mundial divulga estudo sobre agricultura sustentável na AL e Caribe

Pesquisa traz 20 propostas para que o setor impulsione negócios e gere empregos sem colocar em risco recursos naturais da região; agricultura e pecuária respondem por 70% das transformações nos habitats latino-americanos e caribenhos.