Covid-19: sessão especial da Assembleia Geral debate vacina para todos
BR

3 dezembro 2020

Durante dois dias, representantes dos 193 países-membros da organização, setor privado e sociedade civil discutirão como a imunização será distribuída; OMS diz que doença já matou mais de 1,4 milhão de pessoas e contaminou mais de 63,7 milhões em 220 países.

O presidente da Assembleia Geral,Volkan Bozkir, convocou uma sessão especial do órgão para estes 3 e 4 de dezembro. O objetivo é discutir como os países deverão distribuir e executar a imunização contra a Covid-19.

O líder da Assembleia Geral afirma que quando as vacinas estiveram prontas, será preciso um plano para que elas possam chegar a cada país e a cada comunidade.

BioNTech
Cerca de 80 voluntários de várias agremiações pintarão a mensagem #TodosPelasVacinas

Poder

Bozkir disse que a pandemia expôs muitas desigualdades em todo o mundo. Para ele, a forma mais segura de erradicar a doença é também a mais justa: imunizar todas as pessoas. 

Ele afirmou que vai utilizar o poder mobilizador da Assembleia Geral em parceria com a Organização Mundial da Saúde e de todo o sistema ONU para fazer chegar a vacina a quem precisa.

A sessão especial de dois dias reúne o secretário-geral da ONU, António Guterres, o presidente rotativo do Conselho de Segurança e embaixador da África do Sul, Jerry Matjila, e outros representantes da organização.

ONU/Daniel Johnson
Os painéis serão antecedidos por uma apresentação do diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, e contarão com especialistas e representantes da sociedade civil e do setor privado

Setor privado

Nesta sexta-feira, ocorrerá um diálogo interativo com três painéis de discussão sobre a resposta à Covid-19 e a ONU, o caminho para uma vacina como um bem global e o plano de recuperação da Covid-19.

Os painéis serão antecedidos por uma apresentação do diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, e contarão com especialistas e representantes da sociedade civil e do setor privado.

De acordo com a OMS, a Covid-19 já matou quase 1,5 milhão de pessoas em 220 países. Até esta quinta-feira, mais de 63,7 milhões haviam sido contaminados com o novo coronavírus.

O presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, lembrou que a resposta da ONU à pandemia está baseada em três pilares: uma coordenação abrangente e de larga escala, um esforço para salvaguardar vidas e subsistências e um processo transformar de recuperação.

UNICEF
De acordo com a OMS, a Covid-19 já matou quase 1,5 milhão de pessoas em 220 países.

Verificação

Além disso, a ONU está atuando em planos humanitários de resposta e numa campanha de informação verificada sobre a doença.
No início deste ano, o secretário-geral pediu um cessar-fogo global para ajudar a combater a pandemia.

Nos debates destas quinta-feira e sexta-feira na Assembleia Geral, os participantes devem trocar experiências sobre o combate à pandemia e uma resposta que coloque as pessoas no centro da estratégia global.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Na Universidade de Columbia, Guterres defende movimento global para salvar clima 

Secretário-geral diz que ação levará a compromissos mais ambiciosos para sociedades neutras em carbono; meta para 2021 é criar Coalizão Global pela Neutralidade do Carbono; avaliação realça benefícios da tecnologia, análises econômicas e baixo custo de produção de energias renováveis. 

Guterres diz que vacina contra Covid-19 tem que chegar a todos que precisam 

Secretário-geral falou a jornalistas sobre participação no encontro do G-20, que começa neste sábado na Arábia Saudita; para ele, imunização universal é a única maneira de parar o coronavírus.