Covid-19: Medidas na Europa levam à primeira queda de casos globais desde setembro
BR

30 novembro 2020

OMS reporta alta de pacientes e mortes na maioria das outras regiões; diretor-geral indica como lidar com celebrações em tempo de pandemia; agência notificou mais de 62,3 milhões de casos até esta segunda-feira em todo o mundo.  

Na semana passada, assistiu-se ao primeiro declínio nos casos da Covid-19 recentemente notificados a nível mundial desde setembro. A informação foi dada esta segunda-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS. 

Segundo a agência, a redução foi devido a uma diminuição dos casos na Europa graças à eficácia de medidas difíceis, mas necessárias, postas em prática nas últimas semanas.

OIT/Marcel Crozet
Segundo a agência, diminuição dos casos na Europa foi graças à eficácia de medidas difíceis, mas necessárias, postas em prática nas últimas semanas.

Desafios

Falando a jornalistas em Genebra, o diretor-geral da OMS, Tedros  Ghebreyesus, disse que “esta é uma boa notícia, mas deve ser interpretada com extrema cautela.”

Segundo ele, “os ganhos podem ser facilmente perdidos, e ainda houve um aumento de casos na maioria das outras regiões do mundo e um aumento de mortes.”

O chefe da agência afirmou que “não é hora para complacências, especialmente com a chegada da temporada de férias em muitas culturas e países,” e deixou uma série de conselhos. 

Ele disse que “todos querem estar juntos com as pessoas que amam durante os períodos festivos, mas estando com a família e amigos não vale a pena colocá-los em risco ou a si mesmo.”

Tedros disse que, nos próximos meses, “a pandemia de Covid-19 mudará a forma como se comemora, mas isso não significa que não se pode comemorar.” Segundo ele, as mudanças dependerão de onde as pessoas moram, seguindo sempre as diretrizes locais ou nacionais.

ONU/Eskinder Debebe
Para o chefe da OMS, a primeira pergunta que as pessoas têm de responder é se precisam realmente de viajar.

Viajar

Para o chefe da OMS, a primeira pergunta que as pessoas têm de responder é se precisam realmente de viajar. Ele declarou ainda que, para muitas pessoas, esta é uma época de ficar em casa e em segurança.

Se viajar for essencial, devem ser tomadas precauções para minimizar o risco, mantendo a distância de outras pessoas e usando uma máscara em aeroportos, aviões, estações de trem e ônibus. 

As pessoas também devem levar desinfetante ou lavar as mãos frequentemente com água e sabão. Por fim, se não se sentirem bem, não devem viajar.

OIT/Marcel Crozet
Na França, uma professora se conecta com seus alunos remotamente durante a pandemia de Covid-19.

Conselhos

Ghebreyesus destacou que em caso de comemoração com a família é preciso evitar encontros com agregados diferentes. Se tiver que acontecer, a recomendação é que seja ao ar livre, se possível, mantendo distância física e usando uma máscara.

Tedros disse ainda que as pessoas devem evitar centros comerciais lotados, comprando em horários com menos movimento ou na internet, se possível. 

Mesmo que não se possa comemorar normalmente este ano, o chefe da OMS diz que as pessoas devem fazer um plano para celebrar com família e amigos quando for seguro fazê-lo. Segundo ele, em breve “será seguro, é uma questão de tempo.”

Tedros terminou afirmando que “a pandemia vai acabar e todos têm um papel a desempenhar” para alcançar essa meta. 

Até esta segunda-feira, a OMS confirmou mais de 62,3 milhões de casos em todo o mundo e acima de 1,45 milhão de mortes. 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS divulga guia para combater sedentarismo, que mata até 5 milhões por ano 

Em novas diretrizes, Organização Mundial da Saúde incentiva o exercício e atividades físicas com criatividade e segurança mesmo durante a pandemia; em comunicado separado, agência pede maior preparação dos países africanos para futura campanha de vacinação contra Covid-19.