Chefe da ONU pede mais rapidez para alcançar neutralidade de carbono até 2050 
BR

10 novembro 2020

Secretário-geral participou em Diálogos Corrida ao Zero, uma campanha que mobiliza empresas, cidades, regiões e investidores; União Europeia, Japão, Coreia do Sul e mais de 110 países já aderiram à iniciativa.

Um crescente número de governos e empresas está se comprometendo a atingir a neutralidade de carbono até 2050, mas o mundo ainda está muito aquém dessa meta. A declaração é do secretário-geral da ONU, António Guterres. 

O chefe da ONU falou por mensagem de vídeo na abertura dos Diálogos Race To Zero, ou Corrida ao Zero, uma campanha que mobiliza o apoio de empresas, cidades, regiões e investidores.  

Guterres realça que mundo precisa de mais ambição em suas metas, Reprodução

Compromisso 

Guterres relatou que, até agora, a União Europeia, o Japão a Coreia do Sul e mais 110 outros países se juntaram à iniciativa. A China deve aderir até 2060, segundo ele. 

O secretário-geral explica que “isso significa que 50% do Produto Interno Bruto, PIB, mundial e metade das emissões globais de dióxido de carbono estão cobertos por um compromisso.” Além disso, o número de adesões de empresas mais que dobrou no ano passado, chegando a mais de 1,1 mil.  

Mesmo assim, o mundo “ainda está longe de onde precisa estar.” 

Guterres disse que o objetivo é limitar o aumento da temperatura em 1,5º C acima dos níveis pré-industriais. E, hoje, o mundo ainda está caminhando para um aumento de pelo menos 3º C. 

Iniciativa 

Glasgow preparava-se para acolher mais de 3 mil delegados na COP26, Unsplash/Adam Marikar

Os diálogos Corrida ao Zero fazem parte da preparação para o aniversário de cinco anos do Acordo de Paris, em 12 de dezembro de 2020, e da Cúpula da Ambição do Clima, que será realizada nesse dia. 

Os eventos serão realizados na internet, e em vários fusos horários, durante os próximos 10 dias. Mais de 100 diálogos virtuais estão programados. 

As sessões cobrem os principais temas, como transporte, saúde, energia, indústria, oceanos e água e sistemas alimentares. 

O chefe da ONU apelou aos participantes que trabalhem com seus parceiros para “promover, desenvolver e implementar planos de descarbonização confiáveis.” 

António Guterres disse ainda que os diálogos são um exemplo da colaboração necessária, mas avisou que, embora o mundo “esteja na direção certa, é preciso mais velocidade.” 

Segundo ele, “a janela de oportunidade está se fechando”. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Cabo Verde quer chegar a 2030 com mais de 50% de energia renovável 

Informação foi dada à ONU News pelo primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva; país também tem objetivos na área dos oceanos e do combate à seca; para o chefe de Governo, cooperação com membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, significa maior capacidade de intervenção.