Embarcação vira e mata dezenas de pessoas em Cabo Delgado, Moçambique 
BR

5 novembro 2020

Moradores da província estão fugindo da violência na área em centenas de barcos e navios; ataques de extremistas islâmicos já causam o deslocamento de mais de 300 mil moçambicanos na área. 

A Organização Internacional para Migrações, OIM, estima que pelo menos 38 pessoas, incluindo muitas crianças, podem ter morrido durante um naufrágio em Moçambique. 

O incidente ocorreu em 29 de outubro, na província de Cabo Delgado, que enfrenta combates entre tropas do governo e extremistas islâmicos que invadiram a região. Centenas de navios superlotados estão transportando moradores que fogem da violência.  

Mulheres e crianças deslocadas no bairro de Alto Gingone, em Pemba, na província de Cabo Delgado
Mulheres e crianças deslocadas em Pemba, Cabo Delgado, ONU Moçambique/Helvisney Cardoso

Tragédia 

Segundo a OIM os detalhes da tragédia surgiram quando sobreviventes começaram a chegar à capital da província, Pemba. Pelo menos 70 pessoas estavam a bordo. 

Uyeca Mpate contou que ela, o marido e outros residentes de Palma queriam construir uma nova vida em Pemba. Quando o barco afundou, ela só se salvou após se agarrar a um recipiente de água que flutuava e chegar à ilha mais próxima. 

Uyeca disse ainda que “outras pessoas seguraram nas almofadas do barco, e algumas uma corda, mesmo assim várias se afogaram.” 

O marido dela foi um deles. Segundo Uyeca, “o maior número de mortes foram crianças, apenas duas crianças sobreviveram.” 

Deslocados

Nas últimas três semanas, chegaram a Paquetequete, em Pemba, 274 barcos de Cabo Delgado, no nordeste de Moçambique, transportando mais de 13 mil pessoas entre elas 5,9 mil crianças.

Em comunicado, a chefe da missão da agência em Moçambique, Laura Tomm-Bonde, disse que a OIM “enviou as suas mais sinceras condolências às famílias das vítimas fatais nesta tragédia.” 

Nas últimas três semanas, chegaram a Paquetequete, em Pemba, 274 barcos de Cabo Delgado

Segundo Tomm-Bonde, a agência está pronta para apoiar os esforços do governo para ajudar os sobreviventes, os deslocados internos e as comunidades que os acolhem. 

A agência enviou sua equipe da Matriz de Rastreamento de Deslocamento para o ponto de desembarque, na praia em Paquetequete, onde está acompanhando as chegadas diariamente. A equipe de Saúde Mental e Apoio Psicossocial está prestando primeiros socorros psicossociais à comunidade e deslocados internos. 

Nos últimos três anos, a insegurança na Província de Cabo Delgado levou ao deslocamento interno de mais de 300 mil pessoas. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud