Praga de gafanhotos do deserto agrava crise humanitária no Iêmen 
BR

30 outubro 2020

Insetos estão destruindo colheitas em muitas partes do país, que já enfrentava maior crise humanitária do mundo com dois terços da população precisando de apoio. 

A praga de gafanhotos do deserto está destruindo colheitas em muitas partes do Iêmen, arrasando meios de subsistência de agricultores e pastores.  

A praga agrava a situação da maior crise humanitária do mundo, criada por quatro anos de conflito. Cerca de 24,1 milhões de iemenitas, mais de dois terços da população, precisam de algum tipo de apoio humanitário ou de proteção. 

Família em acampamento de deslocados internos no Iêmen.
Deslocados internos no Iêmen sofrem com insegurança alimentar, YPN/Ocha

Testemunhos 

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, está reforçando a resposta do Ministério da Agricultura, apoiando e treinando as equipes no terreno. 

Musae'ed Mubarak Ali Al-Gunaimi, um fazendeiro e pastor do vilarejo de Hareeb contou à FAO que as “nuvens de gafanhotos atacaram as fazendas sem livrar nenhuma safra”, e agora eles comem a forragem do animal, usada para alimentar as ovelhas. 

Os gafanhotos também atacaram plantações de rabanete, cebola, gergelim, agrião e até tâmaras resultando em perdas significativas para os agricultores. 

Outro fazendeiro, Hussain Mohamed Abdullah Al-Zubaidi, da localidade de Ar Rudud, disse que “os gafanhotos comeram tudo em quatro dias.” Segundo ele, os insetos “não deixaram nada além dos gravetos”. 

Apoio 

O Iêmen é um terreno fértil para gafanhotos do deserto. A FAO afirma que controlar a infestação no país é crucial para prevenir uma nova propagação da praga no Sudeste de África e no Sudoeste Asiático. 

A agência está apoiando operações de controle com meios logísticos, fornecendo mais de 14,8 mil litros de pesticidas e treinando 393 equipes de campo em técnicas de controle, saúde, segurança e práticas ambientais. 

O funcionário da Direção Geral de Proteção de Plantas de Beiyhan, Yasir Mohammed Saleh Ali, agradeceu esse apoio, dizendo que a instituição sofria “com a falta de potencial e de suporte financeiro.”  

Apesar dos esforços, nem todas as áreas do país são acessíveis principalmente devido à situação de segurança, dando aos gafanhotos tempo e espaço para reprodução. 

Com o dinheiro recebido através do projeto de transferência de renda emergencial da Unicef, uma família da província de Amran, no Iêmen, compartilha o almoço.
Mais de dois terços da população precisa de algum tipo de apoio humanitário, Unicef

Praga 

O gafanhoto do deserto é considerado a praga migratória mais prejudicial do mundo. A cada três meses, um ciclo de criação, pode multiplicar seus números 20 vezes. 

O inseto se alimenta das colheitas e a vegetação usadas como forragem pelos pastores e consomem seu próprio peso por dia. 

Em cada km2, pode haver de 40 a 80 milhões de insetos e as nuvens chegam a variar de menos de um quilômetro quadrado a várias centenas de quilômetros quadrados. Uma pequena nuvem pode comer a mesma quantidade que 35 mil pessoas em um só dia.  

Devido às mudanças sazonais do clima, eles estão se movendo em busca de vegetação para comer, o que está causando um aumento da atividade na costa do Iêmen e em outras áreas da Península Arábica. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud