Dois projetos brasileiros vencem Prêmio de Ação Climática Global da ONU 
BR

27 outubro 2020

Iniciativas do Brasil atuam nas áreas da produção de biodiesel e desmatamento; secretário-geral disse que é empolgante ver soluções climáticas que reforçam o apelo por uma liderança decisiva nas mudanças climáticas por governos, empresas e cidades.  

O Prêmio de Ação Climática Global das Nações Unidas distinguiu esta terça-feira dois projetos brasileiros. 

A iniciativa da Convenção da ONU sobre Mudança Climática, Unfccc, destacou 13 projetos em três categorias: Mulheres por Resultados, Neutralidade Climática Agora e Financiamento para Investimento Amigo do Clima. 

Patricia Espinosa disse que mundo não se pode esqucer do tema do clima, ONU/Devra Berkowitz

Brasil 

Um dos prêmios foi para a Biotechnos, uma empresa brasileira que encontrou uma forma tecnológica de reaproveitar gorduras residuais de cozinha para a produção de biodiesel. 

Dez anos após sua fundação, a empresa ajudou a implantar 28 fábricas de biocombustíveis sustentáveis em todo o país, gerando mais de 1,5 mil empregos diretos e indiretos. 

O outro vencedor brasileiro, Health in Harmony, ou Saúde em Harmonia em português, tem atividades na Indonésia, no Madagascar e no Brasil. 

A organização reverte o desmatamento atendendo às necessidades econômicas e de saúde das comunidades locais por meio da inovação liderada por mulheres. 

Prêmio ilumina alguns dos melhores exemplos do que as pessoas em todo o mundo estão fazendo para combater a mudança climática

Os esforços no Parque Nacional Gunung Palung, na Indonésia, levaram a uma redução de 90% nas famílias com atividades madeireiras, uma redução de 67% na mortalidade infantil e uma redução de 55% no número de nascimentos por mil mulheres. 

Agora, a Health In Harmony está replicando sua solução climática no Bornéu central, Madagascar e Brasil. 

Prêmio 

Segundo a organização, o prêmio “ilumina alguns dos melhores exemplos do que as pessoas em todo o mundo estão fazendo para combater a mudança climática.” 

Em comunicado, a secretária executiva da ONU para as mudanças climáticas, Patricia Espinosa, disse que a Covid-19 “é a ameaça mais urgente que a humanidade enfrenta hoje, mas não se pode esquecer que a mudança climática é a maior ameaça que a humanidade enfrenta a longo prazo.” 

Mudança climática é maior ameaça global a longo prazo, Pnud/Arjen van de Merwe

Segundo ela, “a convergência dessas duas crises abriu uma janela de oportunidade para avançar, construir cidades e comunidades seguras, saudáveis, verdes e sustentáveis.” 

Esforços 

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também deu os parabéns aos vencedores, dizendo que “é empolgante ver essas soluções climáticas, que reforçam o apelo por uma liderança decisiva nas mudanças climáticas por governos, empresas e cidades, e por uma recuperação verde da pandemia Covid-19.” 

O Unfcc está preparando dois eventos sobre o tema para os próximos meses. 

De 9 a 19 de novembro, acontecem os Diálogos Race To Zero. A iniciativa deve contribuir para os Diálogos do Clima, que se realizam de 23 de novembro a 4 de dezembro e avançam no trabalho sobre as regras do Acordo de Mudança Climática de Paris. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Cresce ameaça da mudança climática no continente africano

Cenário tem impacto em áreas como saúde, segurança alimentar e desenvolvimento; novo relatório da ONU destaca estado atual e futuro do clima na região; 2019 foi um dos três anos mais quentes já registrados e tendência deverá continuar; alterações causam deslocamentos e afetam agricultura.