27 outubro 2020

Milhares de meninas e mulheres receberão ajuda em áreas como saúde, direitos sexuais e reprodutivos; benefíciárias vivem em 20 distritos das províncias de Nampula  e Zambézia; intervenção ajudará a combater violência de gênero.

O Fundo das Nações Unidas para População, Unfpa, anunciou um fundo adicional de US$ 1,9 milhão do Canadá para responder os impactos da Covid-19.

O financiamento deve reforçar ações que vêm sendo realizadas pelas autoridades de saúde e pela sociedade civil nas áreas dos direitos sexuais e reprodutivos de meninas e mulheres em situação de fragilidade. 

Financiamento deve reforçar ações que vêm sendo realizadas pelas autoridades de saúde e pela sociedade civil nas áreas dos direitos sexuais e reprodutivos de meninas e mulheres em situação de fragilidade. Foto: Ocha/Rita Maingi

União prematura

O fundo adicional de US$ 1,9 milhão será aplicado no programa localmente chamado “Rapariga Biz”, cuja meta é prevenir a união prematura e a gravidez na adolescência. 

A iniciativa capacita meninas e mulheres jovens para que decidam de forma consciente e saudável sobre suas vidas e tenham acesso a serviços essenciais de saúde, educação, justiça e de âmbito sociais.

Com liderança do Governo de Moçambique, o programa apoiado pela ONU tem a  coordenação do Unfpa. A implementação envolve a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e a ONU Mulheres.

Exploração sexual

Moçambique tenta mitigar os impactos secundários da Covid-19 em 250 mil beneficiárias desde que surgiu a pandemia, em março. O alvo são residentes de 20 distritos das províncias de Nampula, a norte, e Zambézia no centro do país.

Este grupo enfrenta o risco de sofrer violência baseada no gênero manifestada em várias formas, incluindo pelo parceiro íntimo, no casamento, na exploração sexual e durante a gravidez na adolescência.

Com o apoio do Canadá, o Unfpa quer apoiar o funcionamento de microempresas para que estas aumentem as oportunidades econômicas e os meios de subsistência das meninas e mulheres.

ONU Moçambique/Philip Hatcher-Moore
Atividades incluem capacitar mulheres e meninas para tomar decisões conscientes e saudáveis sobre suas vidas e ajudar no acesso a serviços essenciais de saúde, educação, justiça e da área social.

Impactos

Outras metas são apoiar as integrantes deste grupo que atuam na prevenção da Covid-19 e na mitigação dos impactos secundários da pandemia.

Entre as atividades  financiadas estão o uso de clínicas móveis, a capacitação de prestadores de serviços de saúde e a entrega de kits de saúde escolar contra a Covid-19 para estudantes.

Na área de educação, também serão incentivadas as oportunidades de ensino à distância para adolescentes e jovens e campanhas de mudança de comportamento de cariz participativo.

Antes do surto da Covid-19, cerca de 700 mil meninas e jovens se beneficiaram de atividades que promoviam mentoria, apoio psicossocial, informações sobre saúde sexual e reprodutiva dada a adolescentes por SMS.

INS Moçambique
Outras metas são apoiar as integrantes deste grupo que atuam na prevenção da Covid-19 e na mitigação dos impactos secundários da pandemia.

Empoderamento 

Programas de rádio, oportunidades de empoderamento econômico e serviços de educação, saúde e justiça também faziam parte do leque de ações apoiadas pela agência da ONU.

Com a nova contribuição, o programa reforçará as intervenções realizadas nos últimos sete meses adaptadas para responder diretamente ao impacto da Covid-19 e apoiadas pela Suécia e pelo Canadá.

De Maputo para ONU News, Ouri Pota.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Cresce ameaça da mudança climática no continente africano

Cenário tem impacto em áreas como saúde, segurança alimentar e desenvolvimento; novo relatório da ONU destaca estado atual e futuro do clima na região; 2019 foi um dos três anos mais quentes já registrados e tendência deverá continuar; alterações causam deslocamentos e afetam agricultura.   

Em Moçambique, ONU Mulheres incentiva acesso a energias renováveis no campo 

Mulheres rurais são a maioria dos trabalhadores informais; medidas para conter Covid-19 causaram perdas das fontes de rendimento; milhares de beneficiárias devem iniciar atividades econômicas promovendo o uso de energias limpas. *