Iniciativas do Quênia e Sri Lanka recebem Prêmio de Educação de Meninas e Mulheres 
BR

23 outubro 2020

Entidades homenageadas incentivam participação feminina em tecnologias e acesso ao ensino primário de qualidade; 2020 marca a quinta premiação da Unesco para cumprir ODS4 sobre educação universal de qualidade.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco,  distinguiu entidades da sociedade civil do Quênia e do Sri Lanka com o Prêmio para a Educação das Meninas e Mulheres. 

A Rede da Criança e Menina do Quênia, com a iniciativa “Nosso direito de aprender, alcançando o inalcançado”, dá acesso ao ensino básico de qualidade às menores em situação de fragilidade. Entre as beneficiárias estão meninas quenianas sem possibilidade de acesso ou continuação da educação primária.

Crianças em escola no Quênia, onde um dos projetos vencedores  atua, PMA/Martin Karimi

Escolas   

A meta do projeto é transformar atitudes negativas que limitam a educação das meninas quenianas. Desde 2012, 51.936 crianças foram alcançadas em 240 escolas primárias do país africano, sendo metade delas de sexo feminino.

As ferramentas usadas são programas educativos, gênero e instalações escolares adaptadas para os deficientes. Além disso, são realizadas atividades de mobilização social baseada na comunidade.

O impacto sente-se também no acesso avançado ao ensino primário de qualidade para crianças vulneráveis, incluindo meninas, nas áreas de difícil acesso no Quênia. 

Experiência 

Já no Sri Lanka, a Fundação Shipa Sayura foi reconhecida pelo projeto NextGen Girls In Tecnology. O programa extracurricular apoia meninas dos níveis secundário e universitário a melhorar o pensamento analítico, lógico e criativo através da tecnologia. 

Nos últimos dois anos, o projeto conseguiu garantir conexão de internet para todo o território do país da Ásia Meridional. 
A Unesco distinguiu a  iniciativa por capacitar 1.051 meninas adolescentes e 506 professores. O principal objetivo é permitir o contato entre meninas e a sua primeira experiência tecnológica para que possam desenvolver a careira.  

Compromissos 

A agência da ONU realçou que esta distinção faz a diferença na educação das meninas, através de projetos que impulsionam a participação no setor emergente de tecnologias do Sri Lanka. 

O prêmio de US$ 50 mil deverá ajudar a promover ações em favor do avanço da educação de meninas e mulheres

Antes de serem avaliadas por um júri, as laureadas foram nomeadas pelos Estados-membros da Unesco e ONGs  parceiras. O prêmio de US$ 50 mil deverá ajudar a promover ações em favor do avanço da educação de meninas e mulheres.

O prêmio da Unesco foi criado em 2015. Com o financiamento da China a agência pretende despertar a consciência sobre boas pratica na educação de meninas e mulheres e fortalecer os compromissos adotados em nível global. 

Educação universal

No total, 10 entidades foram laureadas em todas as regiões do mundo pelo reconhecimento que pretende contribuir diretamente para a realização do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4, que prevê a educação universal de qualidade. 

A Unesco realça que apesar do progresso notável que ocorreu nos últimos 20 anos no setor, 16 milhões de meninas nunca poderão entrar numa sala de aula.

 

*Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Mercado de trabalho absorve menos de 50% das mulheres em idade ativa 

Proporção está quase estagnada em 25 anos; relatório interativo Mulheres no Mundo 2020: Tendências e Estatísticas ilustra dados sobre igualdade de gênero; publicação alerta sofre efeitos da pandemia sobre empregos e meios de subsistência do grupo.