16 outubro 2020

Um soldado de paz morreu na cidade de Kidal; em Timbuktu foi ferido um integrante de forças do Burkina Fasso; ações ocorrem três dias após 12 civis e pelo menos 11 soldados do Exército maliano terem perdido a vida no centro do país. 

O secretário-geral, António Guterres, condenou com veemência dois ataques contra a Missão das Nações Unidas do Mali, Minusma, que tiveram lugar na quinta-feira em áreas do norte. Os incidentes ocorreram nas cidades de Kidal e Timbuktu.  

No primeiro ato, um dispositivo explosivo atingiu um veículo da operação de paz matando um soldado egípcio e ferindo gravemente um outro.  

Operação de paz  

Campo da Minusma em Timbuktu após ataque em 2017., by Foto ONU/Sylvain Liechti

Em Timbuktu, foi lançado fogo indireto contra um acampamento da operação de paz resultando em pelo menos um ferido.  

O chefe das Nações Unidas realça que esses incidentes ocorrem três dias depois da morte de 12 civis e pelo menos 11 soldados das Forças de Defesa e Segurança do Mali. As vítimas sofreram ataques no centro do país.  

Famílias  

O comunicado, emitido pelo porta-voz do secretário-geral, expressa solidariedade ao povo, aos governos e às famílias das vítimas do Egito e do Mali. Aos feridos, Guterres desejou uma rápida recuperação. 

O chefe das Nações Unidas lembrou ainda que estas agressões contra as forças de manutenção da paz podem ser considerados crimes de guerra sob o Direito Internacional. O apelo feito às autoridades do Mali é que  “tomem medidas urgentes para deter e levar os responsáveis à justiça rapidamente.”

Foto ONU/Marco Dormino
Ambulância da ONU danificada durante um ataque à Minusma ocorrido em janeiro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud