Cancelamento de vacinação no Iêmen coloca centenas de milhares de famílias em risco  BR

Guterres disse que o Iêmen é a primeira prova da necessidade de um cessar-fogo.
Ocha/Giles Clarke
Guterres disse que o Iêmen é a primeira prova da necessidade de um cessar-fogo.

Cancelamento de vacinação no Iêmen coloca centenas de milhares de famílias em risco 

Ajuda humanitária

Inciativa destinada a animais terminou devido à falta de fundos; pecuária é a principal fonte de renda para mais de 3,2 milhões de iemenitas; mais de 215 mil famílias rurais com insegurança alimentar perderam fonte de renda ou parte dela.

Um programa crítico de vacinação para o gado no Iêmen foi forçado a fechar, colocando em risco centenas de milhares de famílias de agricultores. 

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, relata que o encerramento de seu programa de imunização aumentou as doenças e mortalidade animal. 

Tweet URL

Programa 

Mais de 215 mil famílias rurais que enfrentam crises e insegurança alimentar de emergência estão agora sem toda sua principal fonte de renda ou parte dela. São necessários US$ 3 milhões com urgência para reiniciar o programa. 

A coordenadora humanitária para o Iêmen, Lise Grande, disse que “a pecuária é a principal fonte de rendimento para muitas famílias rurais.” 

Grande afirmou que “se o gado adoece ou morre, essas famílias perdem a renda de que precisam para sobreviver.” Segundo ela, “essas famílias mal estão sobrevivendo, estão entre as mais pobres do Iêmen e já passam fome.” 

A coordenadora afirmou que “interromper a vacinação é o golpe final.” 

Importância  

A pecuária é a principal fonte de rendimento para mais de 3,2 milhões de pastores em todo o Iêmen. 

As famílias criam ovelhas, cabras e gado e dependem do consumo e da venda desses produtos para sobreviver. Ser capaz de vender um animal quando confrontado com uma emergência ou choque é a principal estratégia de sobrevivência para muitos iemenitas. 

No ano passado, mais de 1,6 milhão de animais foram atendidos com serviços veterinários, beneficiando mais de 100 mil agricultores carentes. 

Mohammed Ahmed, um fazendeiro do distrito de Zaydiah, foi um dos que recebeu vacinas gratuitas. Agora, ele diz que tem 40 ovelhas por vacinar, porque a imunização é demasiado cara para ele. 

O representante da FAO no Iêmen, Hussein Gadain, destacou a “grave crise” que o país enfrenta, dizendo que “ter gado é a pedra angular do sustento de muitos dos beneficiários.” 

Gadain afirmou que “se o programa de vacinação não for reiniciado, isso terá consequências graves para o sustento” de muitas famílias. 

Para o especialista, isso é particularmente importante porque o custo da vacinação é muito mais baixo do que comprar um novo animal se ele morrer de doença. 

Crise 

O Iêmen continua sendo a pior crise humanitária do mundo. Quase 80% da população, mais de 24 milhões de pessoas, necessita de alguma forma de assistência humanitária e proteção. 

No início de outubro, apenas US$ 1,34 bilhão dos US $3,2 bilhões necessários para a operação humanitária desse ano tinham sido recebidos.