OMS aprova dois testes de Covid-19 que oferecem resultados em 15 minutos 
BR

2 outubro 2020

Também foi garantido o fornecimento de 120 milhões de testes para uso em países de baixa e média rendas; diretor-geral da agência desejou “recuperação completa e rápida" ao presidente e primeira-dama dos Estados Unidos após ambos contraírem o coronavírus.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, aprovou esta semana o uso de emergência de dois primeiros testes de Covid-19 que oferecem resultados confiáveis entre 15 a 30 minutos. 

A informação foi confirmada esta sexta-feira pelo diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus. Segundo ele, também foi garantido o fornecimento de 120 milhões de testes para uso em países de baixa e média rendas.  

Laboratório em Damasco, na Síria, onde testes à Covid-19 são realizados. Novos testes encurtam o tempo de espera, Unicef Síria

Vacinas e testes 

A decisão agiliza o processo para produtos ainda não licenciados serem usados durante emergências de saúde pública. O sistema permite informar os Estados-membros sobre dados de qualidade e segurança. 

Também esta sexta-feira, a OMS pediu que os fabricantes de vacinas se inscrevam para solicitar pré-qualificação para a lista de uso de emergência. 

Tedros destacou a importância das duas ferramentas da OMS, ACT-Acelerador e Covax, quando a imunização estiver disponível. Segundo ele, os dois instrumentos garantem “que todas as vacinas comprovadamente seguras e eficazes são distribuídas equitativamente em todo o mundo.” 

Esta semana, a OMS anunciou que o ACT-Acelerador recebeu US$ 1 bilhão dos US% 35 bilhões necessários. Além disso, 168 países aderiram à Covax e outros 25 irão se juntar em breve.  

Situação 

168 países aderiram à Covax e outros 25 irão se juntar em breve

Tedros lembrou o diagnóstico positivo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump, desejando “uma recuperação completa e rápida." 

O chefe da OMS disse que, todas as semanas, existem cerca de 2 milhões de novos casos. Esta semana, o mundo também ultrapassou a trágica marca de um milhão de mortes. Mais da metade delas na região das Américas. 

Tedros disse que a agência continua ajudando todos os países para prevenir infecções e salvar vidas. 

OMS investiga alegações de abusos durante combate ao ebola na República Democrática do Congo, Unicef/Tremeau

Eleafirmou que “este é um momento crítico” e que os governos devem permanecer vigilantes e prontos, investindo em seus sistemas nacionais de saúde. 

Ebola 

O chefe da agência também abordou algumas notícias sobre a resposta ao ebola na República Democrática do Congo, que considerou “perturbadoras.” 

A agência investiga alegações de exploração e abuso sexuais por pessoas que se identificaram como trabalhadores da OMS.  

Tedros disse que a agência atua em cenários difíceis “para salvar vidas e espalhar esperança” e, por isso, “a traição das pessoas” nas comunidades que serve é inadmissível. 

A OMS iniciou uma investigação das alegações, bem como questões de proteção mais amplas em ambientes de resposta a emergências de saúde. A agência tem uma política de tolerância zero em relação à exploração e abuso sexuais. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Na ONU, brasileiros pedem apoio para pesquisa da vacina contra Covid-19 

Reitor Luís Ferreira, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, USP, ressalta urgência de financiamento; já médica Maria Letícia Santos Cruz pede mais esforços em níveis científico, nacional, institucional e individual.