Renda global do trabalho cai quase 11% até setembro 
BR

23 setembro 2020

Novos dados mostram perda de US$ 3,5 trilhões nos primeiros três trimestres do ano; previsões até final do ano pioraram; medidas de estímulo orçamental tiveram resultados, mas foram concentradas em países de alta renda.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, OIT, as perdas em horas de trabalho causadas pela Covid-19 causaram uma queda “significativa” da renda para os trabalhadores de todo o mundo. 

Em sua última avaliação dos efeitos da pandemia, a agência estima que a renda global do trabalho tenha diminuído 10,7% ou US$ 3,5 trilhões nos primeiros três trimestres de 2020, quando comparada com o mesmo período em 2019. 

A maior descida acontece em países de baixa-média renda, cerca de 15,1%, by OIT/Alin Sirisaksopit

Diferenças 

A maior descida acontece em países de baixo-médio renda, cerca de 15,1%. A região das Américas foi a mais atingida, com perdas na ordem dos 12,1%. 

A OIT informa que as perdas globais foram "consideravelmente maiores" do que as estimadas na sua edição anterior, publicada em 30 de junho. 

Por exemplo, a estimativa revisada das horas de trabalho perdidas no segundo trimestre deste ano é de 17,3%, equivalente a 495 milhões de empregos. Em junho, a estimativa era de 14%, ou 400 milhões de empregos.  

Para o terceiro trimestre de 2020, esperam-se perdas globais de 12,1%, o equivalente a 345 milhões de empregos a tempo completo. A previsão também piorou de forma significativa. 

Restrições 

Embora muitas medidas restritivas tenham sido atenuadas, existem variações entre regiões. 

Por exemplo, 94% dos trabalhadores vivem em países com algum tipo de restrições e 32% vivem em economias onde todos os locais de trabalho se encontram encerrados, exceto os serviços considerados essenciais.  

Quanto maior for o estímulo orçamental, menores as perdas de horas de trabalho

 

A pesquisa da OIT também analisa a eficácia das medidas do estímulo orçamental implementadas pelos governos.  

Em países onde existem dados para o segundo trimestre, é evidente uma correlação, mostrando que quanto maior for o estímulo orçamental, menores as perdas de horas de trabalho. 

Embora estas medidas tenham desempenhado um papel importante, aconteceram sobretudo em nações de alta renda. Economias emergentes e em desenvolvimento tiveram capacidade limitada de resposta. 

Para corrigir essa diferença, teriam de ser investidos mais US$ 982 bilhões, cerca de US$ 45 mil bilhões em países de baixa renda e US% 937 bilhões em países de baixa-média renda. 

Diretor-geral da OIT, Guy Ryder, OIT/Crozet/Pouteau

Para a OIT, esta diferença é ainda mais preocupante devido aos níveis de proteção social em muitos países em desenvolvimento. Além disso, alguns países tiveram de reorientar a despesa pública devido à pandemia. 

Ação 

Em comunicado, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, afirmou que é preciso "agir urgentemente e em grande escala para superar os seus impactos económicos, sociais e de emprego.” 

Para ele, isso significa “um apoio sustentável ao emprego, às empresas e aos rendimentos." 

Ryder também destacou o encontro da Assembleia Geral da ONU, que decorre em Nova Iorque, dizendo que a comunidade internacional precisa “definir uma estratégia global de recuperação através do diálogo, cooperação e solidariedade, porque nenhum grupo, país ou região pode vencer esta crise por si só." 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU celebra Dia Internacional da Igualdade Salarial ressaltando mundo pós-pandemia 

Organização lembra que mulheres ganham menos de 80 centavos para cada dólar recebido por homens; estimativas do Fórum Econômico Mundial revelam que somente em 257 anos será superada essa disparidade salarial entre gêneros.