PMA pede US$ 4,7 milhões para socorrer vítimas de conflito em Moçambique  
BR

24 setembro 2020

Mais de 300 mil pessoas tiveram que fugir de suas casas após intensificação da violência na província de Cabo Delgado, no norte do país; área, na fronteira com a Tanzânia, tem sido alvo de combates entre extremistas islâmicos e as forças do governo.*

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, informou que está preocupado com a situação dos moradores em Cabo Delgado, no norte de Moçambique. A agência da ONU atua na área, que sofre uma crise humanitária após a intensificação da violências nos últimos anos. 

Cabo Delgado, conhecido por suas belezas turísticas foi arrasado com a passagem do ciclone Kenneth, no ano passado. Nos últimos, ataques de militantes extremistas islâmicos provocaram uma intensifcação das resposta por forças de segurança do país. De acordo com o PMA, sem financiamento adicional, a agência terá que reduzir a distribuição de alimentos já em dezembro. 

Mulheres e crianças deslocadas no bairro de Alto Gingone, em Pemba, na província de Cabo Delgado, ONU Moçambique/Helvisney Cardoso

Mulheres e crianças 

Em comunicado, a representante do PMA em Moçambique, Antonella D’Aprile, afirmou que a crescente insegurança e a infraestrutura deficiente tornam difícil fazer chegar ajuda aos moradores. Com a Covid-19, a distribuição de alimentos tornou-se ainda mais complexa. 

Desde 2017, Cabo Delgado tem sofrido com ataque de grupos armados não-estatais, que resultaram em perda de vidas e danificaram severamente a infraestrutura da província. 

Milhares de pessoas fugiram para a Tanzânia, e analistas já manifestaram preocupação com uma regionalização do conflito. 

Desnutrição 

Cabo Delgado tem a segunda maior taxa de desnutrição crónica do país

O PMA lembra que com a violência e a insegurança, as comunidades perderam o acesso a alimentos e fontes de rendimento. A situação pode ficar ainda mais grave para as mulheres e crianças. 

A província de Cabo Delgado tem a segunda maior taxa de desnutrição crónica do país. Ali, mais da metade das crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição crónica.  

Milhares de deslocados internos procuram refugio nas províncias e países vizinhos. O PMA em colaboração com governo tem como plano atingir 310 mil pessoas por mês nas províncias de Cabo Delgado, Nampula e Niassa com alimentos, apoio nutricional e vouchers. 

*De Maputo para ONU News, Ouri Pota 

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Na ONU, Moçambique lista desafios com atos terroristas no norte do país

Presidente Filipe Nyusi disse que confrontos já mataram mais de 1 mil pessoas e que forças de segurança estão respondendo aos ataques de extremistas islâmicos na província de Cabo Delgado; partes das áreas de Manica e Sofala também são afetadas por homens armados.