Presidente Trump destaca “batalha feroz contra inimigo invisível” 
BR

22 setembro 2020

Líder dos Estados Unidos foi o segundo a discursar no debate geral da 75ª sessão da Assembleia Geral após o líder do Brasil; ele destacou combate à pandemia de Covid-19 e acordos entre Israel, Bahrein e Emirados Árabes Unidos dizendo que são “marco histórico” após “décadas sem progresso.”

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse esta terça-feira que, 75 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial e a fundação das Nações Unidas, o mundo está uma vez mais “envolvido numa grande luta global.” 

Enquanto líder do país anfitrião, Donald Trump, foi o segundo a tomar a tribuna na abertura dos debates de líderes internacionais na ONU. Por causa da pandemia, este ano os discursos são pré-gravados e introduzidos pelos embaixadores dos países. 

Donald Trump destacou as medidas de combate à pandemia implementadas por seu governo, Foto ONU/Eskinder Debebe

Pandemia 

Trump descreveu “uma batalha feroz contra um inimigo invisível”, que já causou mortes em 188 países. Nos Estados Unidos, ele disse que o seu governo lançou “a mobilização mais agressiva desde a Segunda Guerra Mundial.” 

Ele afirmou que o mundo irá “distribuir uma vacina, derrotar o vírus, acabar com a pandemia e entrar em uma nova era de prosperidade, cooperação e paz sem precedentes.” 

Problemas 

Trump disse que “para que as Nações Unidas sejam uma organização eficaz, ela deve se concentrar nos problemas reais do mundo.” 

Ele destacou terrorismo, opressão de mulheres, trabalho forçado, tráfico de drogas e pessoas, perseguição religiosa e limpeza étnica de minorias religiosas. 

Segundo o presidente, “a América será sempre líder em direitos humanos.” Para Trump,  todos sabem “que a prosperidade americana é o alicerce da liberdade e segurança em todo o mundo.” 

O líder dos Estados Unidos destacou dois acordos de paz entre Israel, Bahrein e os Emirados Árabes Unidos

Conquistas 

O líder dos Estados Unidos destacou depois dois acordos de paz entre Israel, Bahrein e os Emirados Árabes Unidos. Ele disse que a sua assinatura é “um marco histórico”, após “décadas sem progresso.” 

Os acordos foram firmados, em meados de setembro, na Casa Branca, em Washington. 

Segundo Trump, “muitos outros países do Oriente Médio” irão se juntar à iniciativa. Ele disse que os Estados-membros da ONU sabem que isso “é ótimo para eles e é ótimo para o mundo.” 

Para o presidente americano, “esses acordos de paz inovadores são o alvorecer do novo Oriente Médio.” Ele disse que outros podem se seguir, em breve, e que nunca esteve tão otimista para o futuro da região.  

O presidente americano terminou seu discurso dizem que está “extremamente confiante” de que no próximo ano, quando os líderes mundiais se reunirem novamente, o mundo estará “no meio de um dos maiores anos da nossa história e, francamente, da história do mundo.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres diz que apesar de crise global, mundo tem chance de mudar para melhor 

Secretário-geral da ONU pediu cessar-fogo global até o fim deste ano; ele discursou antes da abertura debate geral da Assembleia Geral, em Nova Iorque; para Guterres, Conselho de Segurança deve liderar esforços da trégua global; ele destacou seis ações para combater mudança climática e ressaltou que “a pandemia transtornou o mundo, mas essa convulsão criou espaço para algo novo.”