Pandemia leva ONU a realizar primeiro debate virtual da Assembleia Geral   BR

Resolução da Assembleia Geral elogia nações que se envolveram ativamente na preservação dos locais que serviram como campos de extermínio nazistas
Foto ONU: Eskinder Debebe
Resolução da Assembleia Geral elogia nações que se envolveram ativamente na preservação dos locais que serviram como campos de extermínio nazistas

Pandemia leva ONU a realizar primeiro debate virtual da Assembleia Geral  

Assuntos da ONU

A partir desta terça-feira, 22 de setembro, chefes de Estado e Governo enviarão discursos gravados com duração de 15 minutos; Brasil é o primeiro a falar seguido por Estados Unidos, Turquia, China e Chile; Angola será o nono orador da tarde da abertura; último lusófono na lista, Cabo Verde assume o sétimo discurso na tarde de sábado.

A pandemia da Covid-19 levou as Nações Unidas a organizarem o primeiro debate geral virtual de sua história com líderes internacionais. 

Cada país poderá ter um representante no hall da Assembleia Geral, que em muitos casos será o embaixador dos Estados-membros. O objetivo é limitar a ocupação da Assembleia para 200 pessoas, no máximo, evitando assim riscos de contaminação com o novo coronavírus. 

António Guterres fará um dos discursos da sessão de abertura, na terça-feira
António Guterres fará um dos discursos da sessão de abertura, na terça-feira, by ONU/Eskinder Debebe

Recuperação da Covid-19 

Segundo o porta-voz do secretário-geral, Stephane Dujarric, essa quantidade representa menos de 10% da ocupação normal da Casa no primeiro dia do debate geral, que já chegou a mais de 2 mil pessoas. 

Numa entrevista a jornalistas, às vésperas da abertura do debate, o chefe da ONU, António Guterres, informou que priorizará três temas este ano: o cessar-fogo global, um apelo que ele lançou no início do ano, especialmente por causa das consequências da Covid-19, ação climática e a recuperação do mundo depois da pandemia. 

A ONU também confirmou que devido à crise de saúde pública, este ano não haverá o tradicional almoço dos chefes de Estado e Governo, oferecido pelo secretário-geral, nem os chamados encontros paralelos, que podem alcançar várias centenas entre os líderes internacionais, representantes do setor privado e da sociedade civil, que se reúnem todos os anos na sede da ONU. 

Países de língua portuguesa 

Dentre os países de língua portuguesa Brasil e Angola falam logo no primeiro dia. O Brasil será o primeiro a tomar a tribuna e Angola, o nono da parte da tarde. 

Na lista de quarta-feira encontra-se apenas um país lusófono: Moçambique que fala pela manhã. 

Timor-Leste, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe discursam na tarde de quinta-feira.  Neste mesmo dia, participa um outro país, onde o português é língua oficial: Guiné-Equatorial. 

Presidente da 75ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, Volkan Bozkir também discursou no primeiro evento Momento ODSs.
O novo presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, assumiu o posto em15 de setembro, ONU/Eskinder Debebe

Já Portugal será o segundo orador na tarde de sexta-feira, um dia antes de Cabo Verde, o sétimo país da lista na tarde de sábado. 

Protocolos de segurança 

O novo presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, que assumiu o posto em15 de setembro, afirmou que encoraja o reinício gradativo de reuniões presenciais na sede da ONU cumprindo todos os protocolos de segurança para a entrada no prédio. 

Até a tarde desta sexta-feira, a organização já havia recebido mais de 20 gravações de discursos e não tinha nenhuma confirmação sobre a presença de chefes e Estado e Governo no hall da Assembleia Geral incluindo o presidente Donald Trump, dos Estados Unidos, o país anfitrião.