Unesco apoia combate a incêndios no Pantanal para proteger patrimônios naturais 
BR

18 setembro 2020

Fundo de Resposta Rápida coopera com autoridades brasileiras visando impedir que o fogo atinja Patrimônio Mundial Natural; região é a maior área úmida tropical do mundo; estima-se que 1,6 milhão de hectares já foram destruídos; espécies ameaçadas incluem onças-pintadas, tatu-canastra, tamanduá-bandeira, ariranha, cervo-do-pantanal e arara-azul-grande.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está ajudando a proteger o Patrimônio Mundial Natural da Área de Conservação do Pantanal, no Brasil, que está sendo atingido por incêndios florestais. 

Segundo a agência da ONU, “incêndios sem precedentes estão afetando o Pantanal, com inúmeras espécies ameaçadas de extinção e um ecossistema altamente valioso.” 

© M & G Therin-Weise
Ao se referir aos recentes incêndios florestais na Amazônia e no Pantanal, Bolsonaro disse que o seu país tem sido alvo de uma “campanha brutal” de desinformação com “interesses” escusos.

Apoio 

A região do Pantanal é a maior área úmida tropical do mundo, localizada principalmente no Brasil, mas também se estendendo pela Bolívia e Paraguai

A Unesco está usando o Fundo de Resposta Rápida, FFR, uma iniciativa em parceria com a ONG Fauna e Flora Internacional, FFI. 

Diversas instituições governamentais e não-governamentais colaboram para o manejo dos incêndios, mas os recursos são insuficientes. O Fundo já disponibilizou US$ 37.745 ao Instituto Homem Pantaneiro, uma das principais organizações de preservação natural.  

O recurso deve fortalecer as equipes de combate com equipamentos inovadores, como bombas flutuantes de alta pressão desenvolvidas para irrigação e extinção de incêndios florestais. 

Estes equipamentos são altamente eficientes e adequados ao contexto local, pois podem circular nas vias navegáveis, como rios, facilitando acesso a áreas remotas. O uso de aeronaves também deve reforçar a ação. 

Ribeirinhos 

Além de proteger o ecossistema, a ação também de preservar as residências locais e os barcos dos ribeirinhos, incluindo membros da etnia indígena Guató. 

Essas áreas protegem inúmeras espécies ameaçadas, como onças-pintadas, tatu-canastra, tamanduá-bandeira, ariranha, cervo-do-pantanal e arara-azul-grande, a maior espécie de papagaio. 

Os principais parceiros do projeto são o Governo Federal Brasileiro, o Governo do Estado de Mato Grosso e o Sistema Nacional de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, Prevfogo, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Ibama. 

Fundo de Resposta Rápida, FFR, é uma iniciativa da Unesco em parceria com a ONG Fauna e Flora Internacional, Unesco

Outros parceiros relevantes são a Rede Brasileira de Reservas da Biosfera e a Reserva da Biosfera do Pantanal. 

Importância 

A região do Pantanal é a maior área úmida tropical do mundo, localizada principalmente no Brasil, mas também se estendendo pela Bolívia e Paraguai. 

A região considerada Patrimônio Mundial Natural faz parte de uma área maior chamada Reserva da Biosfera do Pantanal, que cobre uma parte considerável do Pantanal brasileiro com grande importância ecológica. 

Uma fraca estação chuvosa no ano passado levou o rio Paraguai a seu nível mais baixo em 50 anos. A falta de chuva, acompanhada por um estado atual de baixa umidade e altas temperaturas, resultou em incêndios arrasadores. Estima-se que 1,6 milhão de hectares já tenham sido destruídos. 

Ventos fortes e a localização dos incêndios significam que o local está em grave perigo. Isso representa uma ameaça existencial para a biodiversidade da floresta. Animais que não podem se mover rapidamente, como, jacarés, cobras e antas correm maior risco. 

Futuro 

A doação do Fundo de Resposta Rápida também deverá ajudar a desenvolver capacidades para lidar com futuros incêndios. 

A Unesco diz que este é “um legado importante, porque estes eventos devem se tornar mais comuns com as mudanças climáticas e condições meteorológicas extremas.” 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Verão de 2020 foi o mais quente já verificado no Hemisfério Norte, diz OMM 

Segundo agência da ONU, todos os verões recordes aconteceram desde 2015; temperaturas contribuem para incêndios arrasadores que seguem afetando a costa oeste dos Estados Unidos; temporada de furacões no Atlântico é tão ativa que deve esgotar lista de nomes de tempestades.