Começa 75ª Sessão da Assembleia Geral em “ano crítico” para luta contra Covid-19
BR

15 setembro 2020

 Novo presidente do órgão revelou cinco prioridades para novo em cerimônia oficial nesta terça-feira; pandemia será prioridade em primeiro debate geral de forma virtual; chefes de Estado e governo discursarão a partir de 22 de setembro; Jair Bolsonaro e Donald Trump serão os primeiros a falar.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, advertiu os países para um “ano crítico na vida da organização” que continuará a resposta ao impacto imediato da pandemia da Covid-19. 

Ele fez a declaração na sessão de abertura da 75ª Assembleia Geral dizendo que é preciso reforçar os sistemas de saúde, apoiar o desenvolvimento e a distribuição equitativa de tratamentos e vacinas.  

Responsabilidade 

António Guterres parabenizou o embaixador turco Volkan Bozkir, que assumiu o cargo de presidente da Assembleia Geral. O novo líder diz que o momento de crise revela a responsabilidade de fortalecer a fé das pessoas na cooperação multilateral e nas instituições internacionais, tendo a ONU como centro. 

Volkan Bozkir, presidente eleito da 75ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas
Volkan Bozkir, presidente eleito da 75ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, by ONU/Mark Garten

Este ano, a pandemia de Covid-19 obrigou a organização a realizar o debate geral de forma virtual com chefes de Estado e de Governo a partir de 22 de setembro. 

Para Bozkir é preciso ter um diálogo franco, transparente e orientado para resultados “sobre o que deu errado nos esforços para conter o vírus” e “o que deve ser feito para evitar uma situação similar” no futuro. 

De acordo com o presidente, os países precisam se questionar e responder acerca da possível distribuição de uma vacina de forma justa e equitativa. Para ele, “essa não é apenas uma questão de saúde e economia, mas de ética da mais profunda forma”. 

O presidente da Assembleia Geral enumerou cinco prioridades para seu mandato que farão dos 75 anos das Nações Unidas um momento de revitalizar o espírito de cooperação, pedra fundamental da organização. 

Mandato 

Em segundo lugar, ele apontou que o órgão deve “refletir sobre seu próprio trabalho e abraçar as reformas a fim de ser eficaz e relevante”. Como terceiro ponto, ele mencionou ações para melhorar o cumprimento do mandato da ONU ouvindo as pessoas que são servidas pela organização. 

Em relação à quarta prioridade, ele disse que ao iniciar a Década de Ação para implementar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável deve ser incentivado o uso de tecnologias emergentes, com o reforço de dados e ações orientadas a obter resultados “para garantir que ninguém seja deixado para trás”. 

Bozkir destacou ações para promover o empoderamento das mulheres, nas quais “defenderá a igualdade de gênero em toda a agenda da sessão” como sua quinta prioridade. 

O antecessor dele, Tijjani Muhammad-Bande, disse ter havido avanços em questões sobre paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento, os três pilares das Nações Unidas. 

Para o ex-presidente da Assembleia Geral, a organização deve continuar a enviar uma mensagem clara de que o órgão “estará sempre do lado daqueles que sofreram os efeitos da Covid-19”, e os que perderam seus entes queridos devido ao vírus. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud