Assembleia Geral renova compromisso com cultura de paz em evento de alto nível  BR

O Dia Internacional celebra o artigo 2 da Carta da ONU sobre a importância de que as disputas internacionais sejam resolvidas por meios pacíficos, sem ameaças ou uso da força
Minustah/ Logan Abassi
O Dia Internacional celebra o artigo 2 da Carta da ONU sobre a importância de que as disputas internacionais sejam resolvidas por meios pacíficos, sem ameaças ou uso da força

Assembleia Geral renova compromisso com cultura de paz em evento de alto nível 

Paz e segurança

Iniciativa marcou aniversário da Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz, aprovada em 1999; presidente da Assembleia Geral e secretário-geral destacaram riscos causados pela pandemia de Covid-19.

A Assembleia Geral das Nações Unidas acolheu, esta quinta-feira, um evento de alto nível sobre cultura da paz.  

A iniciativa foi uma oportunidade para os Estados-membros renovarem seu compromisso com a Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz, aprovada em 13 de setembro de 1999. 

Presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande
Presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, disse que a pandemia está longe de terminar, Azertag State Agency

Riscos 

O presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, disse que a pandemia “revela e aumenta as desigualdades existentes nas sociedades, contribuindo para um acréscimo das tensões.” 

Ele destacou altas acentuadas da pobreza extrema e da fome e a interrupção da educação, que impactam erradicação da pobreza, insegurança alimentar, instabilidade econômica e desenvolvimento sustentável. 

Muhammad-Bande ressaltou o aumento da violência a mulheres e crianças e trabalhadores da linha de frente. Segundo ele, “os impactos da Covid-19 são exacerbados para mulheres e meninas simplesmente em virtude de seu gênero.” 

Para o presidente da Assembleia Geral, “a pandemia está longe de terminar e suas consequências a longo prazo ainda não são conhecidas.” 

Segundo ele, a crise é “uma oportunidade de mudar o mundo”, reconstruindo melhor e alcançando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. 

Vulneráveis 

Já o secretário-geral, António Guterres, afirmou que as consequências econômicas da crise afetam de forma desproporcional os Estados mais frágeis, especialmente onde existem conflitos ou crises humanitárias. 

Segundo ele, “à medida que a devastação cresce e se espalha, ela ameaça minar a confiança nas instituições públicas e nos processos democráticos, mesmo nos países mais desenvolvidos.” 

Nações Unidas nunca enfrentaram uma ameaça tão complexa e multidimensional à paz e à segurança

A Covid-19 está expondo riscos para a saúde, mas também para economias e sociedades e para o futuro. Para o secretário-geral, a pandemia “está minando os esforços para a construção de uma cultura de paz em nível local, nacional e global.” 

Guterres afirmou que, desde a sua fundação, as Nações Unidas nunca enfrentaram “uma ameaça tão complexa e multidimensional à paz e à segurança.” 

Para ele, uma cultura de paz “deve ser centrada nos direitos humanos e no fim da injustiça e da discriminação com base no gênero, origem étnica, religião, deficiência ou orientação sexual.” 

Mudanças 

O chefe da ONU diz que é preciso “enfrentar as profundas desigualdades que impedem a dignidade e as oportunidades para todos.” 

Para isso, ele defendeu mais investimento na coesão social, “reconhecendo que a diversidade é uma riqueza, não uma ameaça.” 

Guterres também apelou que qualquer futura vacina seja vista como um bem público global.
António Guterres destacou a importância do entendimento entre as diferentes culturas, ONU/Jean Marc Ferré

Também apelou a “uma nova geração de proteção social, inclusive para os mais vulneráveis, baseada na Cobertura Universal de Saúde e na possibilidade de uma renda básica universal.” 

A comunidade internacional deve ainda trabalhar para garantir o acesso universal à educação de qualidade e cooperar com o planeta, reconhecendo seus limites e responsabilidades para com as próximas gerações. 

O secretário-geral destacou a importância do entendimento entre as diferentes culturas, realçando como a arte e a cultura permitem expressar verdades fundamentais sobre a humanidade. 

Segundo ele, o mundo precisa ter a certeza de que “as comunicações digitais contribuem para a paz e não são usadas indevidamente para espalhar o ódio e o extremismo.” 

António Guterres terminou afirmando que “o respeito, a empatia e a proteção dos direitos humanos e da dignidade devem ser o guia, mesmo nas circunstâncias mais difíceis.”