Alta comissária da ONU elogia Venezuela por indultos presidenciais a opositores BR

Alta comissária de direitos humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet.
Foto: ONU News/Daniel Johnson
Alta comissária de direitos humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet.

Alta comissária da ONU elogia Venezuela por indultos presidenciais a opositores

Direitos humanos

Em nota, Michelle Bachelet disse que decisão de Nicolás Maduro sobre libertar 110 pessoas, a maioria políticos venezuelanos detidos por vários meses, no exílio ou sob “medidas de precaução” deverá beneficiar muitos legisladores privados de sua imunidade parlamentar, conselheiros políticos e outros.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU elogiou a decisão do presidente da Venezuela de indultar 110 pessoas detidas ou no exílio, a maioria opositores políticos e ativistas.

Em nota, a chefe do Escritório, Michelle Bachelet, afirmou que o indulto encerra processos penais contra os perdoados e os coloca em “liberdade incondicional”. 

Espaço democrático

Segundo agências de notícias, o indulto entrará em vigor imediatamente e não inclui alguns dos maiores opositores do presidente Maduro: o líder do partido Vontade Popular, Leopoldo López.

O indulto presidencial foi anunciado pelo governo como um gesto de reconciliação nacional após o impasse político entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição liderada por Juan Guaidó.

Segundo o Acnur, cerca de 4 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos foram afetados e não têm para onde ir.
OIM
Segundo o Acnur, cerca de 4 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos foram afetados e não têm para onde ir.

Desde 2015, a crise política e a violência na Venezuela intensificaram-se e centenas de milhares de pessoas fugiram do país, a maioria para as nações vizinhas incluindo o Brasil.

A medida ocorre três meses antes das eleições legislativas na Venezuela. 

Para a alta comissária da ONU, a decisão é um “passo positivo para abrir o espaço democrático e melhorara  situação dos direitos humanos no país”.