Chefe da ONU destaca papel da Índia no combate à mudança climática 
BR

28 agosto 2020

António Guterres foi o convidado da 19ª palestra Darbari Seth Memorial, uma iniciativa em honra de um pioneiro indiano para ação climática; secretário-geral acredita que recuperação da pandemia pode levar eletricidade a 270 milhões de pessoas e criar milhões de empregos.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, proferiu a 19ª palestra Darbari Seth Memorial, organizada pelo Instituto de Energia e Recursos, Teri, na Índia.  

No discurso “A ascensão das energias renováveis: iluminando um futuro sustentável”, Guterres defendeu uma ação climática mais robusta e um papel de liderança para a Índia.  

Guterres afirmou que está “profundamente preocupado” com os ataques a profissionais da mídia incluindo em zonas de conflitos em guerras.
Secretário-geral foi convidado desse ano para série de palestras sobre clima, by Foto ONU/Evan Schneider

Desafios 

O secretário-geral começou dizendo que, enquanto o mundo busca a recuperação da pandemia da Covid-19, todos devem assumir um compromisso em reconstruir melhor. 

Para ele, “isso significa transformar sistemas econômicos, de energia e de saúde, para salvar vidas, criar economias estáveis e inclusivas e evitar a ameaça existencial da mudança climáticas” 

António Guterres explicou que a Índia “pode se tornar uma verdadeira superpotência global na luta contra as mudanças climáticas.” 

O chefe da ONU destacou depois que, durante a pandemia, a proporção de energia renovável da Índia aumentou de 17% para 24%. Ao mesmo tempo, a energia movida a carvão diminuiu de 76% para 66%. 

Segundo ele, “esta tendência promissora precisa continuar.” 

Prioridades 

O secretário-geral acredita que o aumento da energia limpa pode ajudar a alcançar duas grandes prioridades da Índia: combate à pobreza e acesso universal à energia. 

Segundo o chefe da ONU, “os investimentos em energia renovável, transporte limpo e eficiência energética durante a recuperação da pandemia poderiam estender o acesso à eletricidade a 270 milhões de pessoas em todo o mundo, um terço das pessoas que atualmente não têm esse acesso.” 

Desde 2015, o número de pessoas trabalhando em energia renovável aumentou cinco vezes

Para Guterres, a criação de empregos seria outra consequência positiva, uma vez que “os investimentos em energia renovável geram três vezes mais empregos do que os investimentos em combustíveis fósseis poluentes.” 

Esses investimentos poderiam criar 9 milhões de postos de trabalho, todos os anos, nos próximos três anos. 

Progresso 

A Índia já está avançando nessa direção. Desde 2015, o número de pessoas trabalhando em energia renovável aumentou cinco vezes. No ano passado, os gastos com energia solar ultrapassaram os gastos com carvão pela primeira vez. 

Para o futuro, o secretário-geral defendeu que o país “deve acabar com sua dependência de combustíveis fósseis poluentes, financeiramente voláteis e caros.” Em vez disso, ele defendeu “investimento em energia solar limpa e economicamente resiliente”. 

A palestra é uma homenagem ao pioneiro em ação climática Darbari Seth.  Em 1974, o empresário indiano fundou a Teri, que é hoje um importante centro de investigação nas áreas de energia, clima e sustentabilidade. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud