Chefe da Agência da ONU para Refugiados visita Líbano e aumenta apoio ao país
BR

18 agosto 2020

Em viagem oficial de quatro dias iniciada nesta terça-feira, Filippo Grandi verá de perto situação de refugiados sírios após explosão de 4 de agosto; incidente matou mais de 170 pessoas incluindo 34 refugiados; ele visitará hospitais e se reunirá com autoridades locais.

O chefe da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, chegou ao Líbano para acompanhar o trabalho de assistência às vítimas da explosão de 4 de agosto no país.

Pelo menos 34 refugiados morreram na explosão de um depósito no Porto de Beirute, que continha mais de 2,7 mil toneladas de nitrato de amônio. 

Alto comissário esteve no porto da cidade, o local da explosão
Alto comissário esteve no porto da cidade, o local da explosão, Acnur

Fronteira

Filippo Grandi deverá passar quatro dias no Líbano, onde visitará acampamentos de refugiados e várias localidades incluindo o Vale do Becá, que fica na fronteira do país com a Síria.

A explosão de 4 de agosto no porto da capital, Beirute, causou 178 mortos e deixou 6,5 mil pessoas feridas.

Compromisso 

Falando aos jornalistas, em Genebra, o porta-voz do Acnur contou que esta é a primeira missão no terreno do alto comissário desde o início da pandemia de Covid-19.

Babar Baloch diz que a visita “é uma reafirmação da solidariedade e compromisso do Acnur em apoiar o Líbano.” 

As operações de apoio aos libaneses e refugiados continuam sendo uma das principais prioridades da agência. Em relação ao tamanho de sua população, o Líbano concentra a maior porcentagem de refugiados do mundo. 

No ano passado, havia mais de 914 mil refugiados sírios no país, segundo o Acnur que contabilizou 18 mil refugiados de outros nacionalidades.

Crise 

Além do impacto imediato e de longo prazo da explosão, a agência da ONU está preocupada com o efeito combinado da crise econômica e da pandemia. Esses três fatores prejudicam os mais vulneráveis e mais pobres. 

Nesta terça-feira, Grandi visitou os bairros mais afetados e se reuniu com autoridades em Beirute.  

Acnur está fornecendo abrigos de emergência a cerca de 200 mil famílias que tiveram suas moradias gravemente danificadas

A agência está ampliando sua resposta a todas as comunidades atingidas pela explosão para fornecer socorro imediato, abrigo e apoio de proteção. 

O Acnur está fornecendo abrigos de emergência a cerca de 200 mil famílias que tiveram suas moradias gravemente danificadas. A agência também realiza apoio psicológico de emergência e outras medidas urgentes de proteção. 

Hospitais

Nos próximos dias, Filippo Grandi acompanhará a resposta humanitária em outras partes do país. 

No norte do Líbano, ele visitará os hospitais públicos onde a agência apoiou a expansão do número de leitos em unidades de tratamento intensivo. Esse programa deve ter continuação, porque os hospitais locais continuam sobrecarregados. 

Grandi visitará ainda refugiados sírios que foram gravemente afetados pela crise econômica e pelas medidas contra a Covid-19. 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud