ONU saúda entendimento entre Israel e Emirados Árabes Unidos
BR

13 agosto 2020

Acordo que suspende planos de anexação de partes da Cisjordânia foi assinado por líderes de Israel e dos Emirados Árabes Unidos; anúncio foi feito pelo presidente dos EUA em Washington; secretário-geral vê oportunidade para retoma de israelenses e palestinos.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reagiu ao anúncio do acordo prevendo que Israel suspenda planos de anexação de áreas da Cisjordânia que foi divulgado esta quinta-feira.

O chefe da ONU saudou a declaração conjunta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e do príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohamed bin Zayed Al Nahyan. 

Anexação

Em nota emitida pelo porta-voz, Guterres lembra que esse desfecho “é algo que ele tem exigido de forma constante”. Para Guterres, a anexação "fecharia efetivamente a porta para uma retoma das negociações e destruiria a perspectiva de um Estado Palestino viável, e da solução de dois Estados".

A expetativa do secretário-geral da ONU é que o acordo crie uma oportunidade para que os líderes israelenses e palestinos "se envolvam de novo em negociações significativas, que irão realizar uma solução de dois Estados alinhada com as resoluções relevantes da organização, o direito internacional e os acordos bilaterais. 

Ameaças regionais

Guterres destaca que a paz no Oriente Médio "é mais importante do que nunca", num momento em que “a região enfrenta as graves ameaças da Covid-19 e da radicalização”.

O chefe da ONU termina a nota reiterando que continuará trabalhando com todas as partes para abrir novas possibilidades de diálogo, paz e estabilidade.

ONU News/Reem Abaza
Casas palestinas e assentamentos israelenses em Hebron, na Cisjordânia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud