Guterres elogia ação rápida de governos no sudeste da Ásia para conter Covid-19
BR

30 julho 2020

Em novo vídeo, secretário-geral divulga documento político sobre região afirmando que cooperação tem sido robusta; ele lembrou que todos os governos da área apoiaram o apelo da ONU para um cessar-fogo global durante a pandemia.

As Nações Unidas elogiaram a cooperação entre os países do sudeste asiático e a resposta que eles estão dando à crise global gerada pela Covid-19.

Em seu mais novo documento político sobre regiões e temas nesse momento de pandemia, o secretário-geral da organização, António Guterres, disse que o impacto econômico e político da Covid-19 tem sido significativo em todo o sudeste da Ásia atingindo de forma mais dura os mais carentes.

Secretário-geral ressalta que as medidas de contenção da pandemia pouparam a região do grau de sofrimento e distúrbios vistos em outras partes do mundo. 
Secretário-geral ressalta que as medidas de contenção da pandemia pouparam a região do grau de sofrimento e distúrbios vistos em outras partes do mundo. Foto: ONU/Mark Garten

Caminho

Guterres acredita que a Covid-19 evidenciou profundas desigualdades, fraquezas da governança e a necessidade de um caminho de desenvolvimento sustentável, além de expor desafios para a paz e segurança.

Na semana passada, ele falou sobre a pandemia e a região árabe, pouco depois de divulgar um documento político sobre a Covid-19 nos países latino-americanos e caribenhos. 

No caso do sudeste asiático, que inclui o país de língua portuguesa Timor-Leste, o secretário-geral ressalta que as medidas de contenção da pandemia pouparam a região do grau de sofrimento e distúrbios vistos em outras partes do mundo. 

Mulheres e crianças

Para ele, isso se deve à rápida resposta dos governos e a cooperação regional em vários setores.  O chefe da ONU ressaltou a parceria da organização com autoridades locais no envio de suprimentos médicos, apoio aos migrantes, e no combate à violência a mulheres e crianças, entre outros tópicos.

Guterres afirma que o sudeste da Ásia deve priorizar quatro pontos para uma recuperação eficiente da  crise gerada pela pandemia: o combate às desigualdades socioeconômicas, a redução do abismo digital, direitos humanos e uma economia mais verde.

Segundo António Guterres, a região tem muito a fazer, mas conta com “capacidades formidáveis” para realizar a tarefa de uma melhor recuperação e do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável incluindo a todos.

 

DECLARAÇÃO PARA O DOCUMENTO POLÍTICO SOBRE O IMPACTO DA COVID-19 NO SUDESTE ASIÁTICO

Como em outras partes do mundo, o impacto económico e político da Covid-19 tem sido significativo em todo o sudeste da Ásia - atingindo de forma mais dura os mais vulneráveis.
A pandemia evidenciou profundas desigualdades, fraquezas da governação e a necessidade de um caminho de desenvolvimento sustentável.
E revelou novos desafios, inclusive para a paz e a segurança.
As medidas de contenção pouparam o sudeste da Ásia do grau de sofrimento e de perturbação visto em outros lugares.
Os governos agiram rapidamente para combater a pandemia e evitar os seus piores efeitos. E a cooperação regional tem sido robusta em vários setores.
Durante a crise, as Nações Unidas têm apoiado os esforços de resposta e de recuperação.
Fornecemos materiais médicos, apoiamos programas de proteção social, auxiliamos os migrantes que retornam e combatemos o aumento da violência contra as mulheres e as crianças.
No futuro, haverá quatro áreas que serão críticas nos planos de recuperação da região.
Primeiro: combater as desigualdades de rendimento, de assistência médica e de proteção social tanto com medidas de estímulo a curto prazo como com mudanças políticas de longo prazo.
Segundo, reduzir o fosso digital para garantir que pessoas e comunidades não sejam deixadas para trás no nosso mundo cada vez mais conectado.
Terceiro, tornar a economia mais verde para criar empregos do futuro e descarbonizar as economias ainda muito dependentes do carvão e de outras indústrias do passado.
Quarto, defender os direitos humanos, proteger o espaço cívico e promover a transparência, que são intrínsecos a uma resposta eficaz.
São fundamentais para estes esforços a necessidade de promover a igualdade de género, combater o aumento da violência baseada no género e incluir as mulheres em todos os aspetos dos planos de recuperação económica e de estímulo.
Isso mitigará os impactos desproporcionais da pandemia sobre as mulheres, sendo também um dos caminhos mais seguros para uma recuperação sustentável, rápida e inclusiva para todos.
A situação atual está a levar à recessão e às tensões sociais.
O discurso do ódio já aumentou e os processos políticos pararam, deixando vários conflitos de longa data estagnados e a se deteriorar.
Todos os governos da subregião apoiaram o meu apelo a um cessar-fogo global. Conto com todos os países do Sudeste Asiático para traduzir esse compromisso em mudanças significativas no terreno.
A região tem muito trabalho a fazer, mas também dispõe de capacidades formidáveis.
As Nações Unidas estão fortemente comprometidas com nossa parceria com os países do Sudeste Asiático, e continuaremos a apoiar os esforços para colocar a região no caminho certo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro pacífico para todos.

Obrigado.”
 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud