Prêmio Nelson Mandela 2020 sai para dois defensores dos direitos de mulheres e crianças
BR

17 julho 2020

Nomes de Marianna Vardinoyannis, da Grécia, e Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, foram anunciados pelo presidente da Assembleia Geral; ex-líder de Portugal, Jorge Sampaio, integrou Comitê de Seleção; Sampaio recebeu a distinção em 2015, durante a primeira edição do prêmio.

Marianna Vardinoyannis, da Grécia, e Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, são os vencedores do Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela das Nações Unidas em 2020.  

O anúncio foi feito pelo presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande. 

Em comunicado, ele disse que o trabalho dos dois “tem um impacto na vida de outras pessoas” e que eles se inspiram no exemplo e valores de Mandela.

Marianna V. Vardinoyannis é uma filantropa grega que atua na área dos direitos das crianças
Marianna V. Vardinoyannis é uma filantropa grega que atua na área dos direitos das crianças, ONU

Fronteiras

Marianna V. Vardinoyannis é uma filantropa e defensora dos direitos humanos e da proteção da saúde e bem-estar das crianças. Embaixadora da Boa Vontade da Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesc

Vardinoyannis também é fundadora e presidente de duas ONGs, uma fundação que leva o seu nome, e a Associação de Crianças com Câncer Elpida.  

O presidente da Assembleia Geral afirmou que a filantropa “luta contra o câncer infantil e por um mundo sem fronteiras para o acesso à saúde há mais de 30 anos, ajudando milhares de crianças.” 

África

O outro vencedor, Morissana Kouyaté, é um médico da Guiné-Conacri. Segundo Muhammad-Bande, o ganhador “é um dos principais defensores do fim da violência a mulheres e meninas na África.” 

Kouyaté é diretor-executivo do Comitê Inter-Africano de Práticas Tradicionais Nocivas. Ele foi um dos iniciadores do instrumento regional da África para acabar com a violência às mulheres e se destaca contra práticas tradicionais prejudiciais como a Mutilação Genital Feminina. 

Morissanda Kouyate, da Guiné-Conacri, é ativista pelos direitos de meninas e mulheres
Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, é ativista pelos direitos de meninas e mulheres, ONU

O prêmio Nelson Mandela, criado em 2014, reconhece pessoas que dedicam suas vidas ao serviço da humanidade, promovendo os princípios da ONU e honrando a vida e legado do ex-líder sul-africano.

Em 2015, o ex-presidente de Portugal Jorge Sampaio foi agraciado com a primeira edição do prêmio. 

Direitos humanos

Este ano, ele foi convidado como membro honorário do Comitê de Seleção, ao lado do ex-ministro do Exterior da Eslováquia Eduard Kukan e da presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos de Marrocos, Amina Bouayach. 

O Comitê de Seleção também foi composto ainda por embaixadores do Afeganistão, Burundi, Grécia, Hungria e Nicarágua, representando os cinco grupos geográficos regionais da ONU. 

Os ganhadores do Prêmio Nelson Mandela 2020 foram anunciados pela internet por causa das medidas de proteção da pandemia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud