OMS se pronunciará, em breve, sobre potencial transmissão da Covid-19 pelo ar
BR

7 julho 2020

Chefe da Organização Mundial da Saúde informou também que despachará uma equipe à China, no fim de semana, para identificar origem zoonótica da pandemia, transmitida de animais para seres humanos; até esta terça-feira haviam sido confirmados 11,4 milhões de casos e 535 mil mortes.

Um grupo de engenheiros enviou uma carta para a Organização Mundial da Saúde mencionando a possibilidade de que a Covid-19 seja transmitida pelo ar.

A notícia, publicada no jornal The New York Times, dos Estados Unidos, foi reproduzida em várias partes do mundo. 

Imagem microscópica digitalmente aprimorada mostra uma infecção por coronavírus em azul.
Imagem microscópica digitalmente aprimorada mostra uma infecção por coronavírus em azul. Foto: CDC/Hannah A Bullock/Azaibi Tami

Conversas

Nesta terça-feira, a Organização Mundial da Saúde respondeu que está analisando a informação assim como outras formas já comprovadas de transmissão. A responsável da equipe técnica da agência, Maria Van Kerkhove, disse que a OMS deve fazer “um pronunciamento abrangente já nos próximos dias”. 

A médica contou que as conversas com os autores da carta ocorrem desde 1 de abril, e que muitos são engenheiros especialistas em respiradores mecânicos. Para ela, não somente esta possível forma de transmissão, como outras, devem ser consideradas e reconhecidas para que se possa chegar a uma prevenção eficiente da doença. 

Outra especialista técnica, Benedetta Allegranzi, contou que a OMS tem colaborado com vários especialistas sobre o tema, há alguns meses, discutindo as preocupações. Ela disse que recebeu várias contribuições sobre o tema e que reconhece que existem evidências e que a agência tem que estar aberta sobre as formas de transmissão e as precauções.

Longo prazo

Na entrevista a jornalistas, o diretor-geral da agência, Tedros Ghebreyesus, afirmou que os países que conseguiram avanços contra a pandemia e redução do número de mortes, foram os mesmos que tomaram providências com grupos específicos de risco incluindo pacientes de longo prazo como idosos que vivem em lares.

Até esta terça-feira, o mundo havia 11,4 milhões de casos confirmados da Covid-19 com mais de 535 mil mortes. 
O chefe da OMS contou que despachará este fim de semana uma equipe para a China para investigar a origem da doença zoonótica, que é transmitida de animais para os seres humanos.

OMS despachará uma equipe para a China para investigar a origem da doença zoonótica, que é transmitida de animais para os seres humanos.
ILRI/Barbara Wieland
OMS despachará uma equipe para a China para investigar a origem da doença zoonótica, que é transmitida de animais para os seres humanos.

Estudos científicos

Tedros informou que a OMS firmou uma parceria com a rede social Facebook para continuar informando a população sobre estudos científicos e informações seguras a respeito da pandemia em redes celulares em mais de 50 países e sem a cobrança extra pelos dados. Ele também agradeceu à empresa Google pelo apoio recebido desde o início da crise global.

Durante o contato com a imprensa, o diretor-geral da OMS também falou sobre a luta contra o HIV, o vírus que causa a Aids, e desafios enfrentados por países regiões, onde as taxas de contaminação têm subido.

A agência da ONU afirma que o mundo ainda não chegou ao cume de transmissão. E ainda que as taxas de novos casos baixem em alguns países, em outros o ritmo se acelera.

A exposição ao chumbo na infância custa aos países de baixa e média rendas quase US$ 1 trilhão, devido à perda do potencial econômico dessas crianças na fase adulta.
Unicef/Karin Schermbrucker
A exposição ao chumbo na infância custa aos países de baixa e média rendas quase US$ 1 trilhão, devido à perda do potencial econômico dessas crianças na fase adulta.

Crianças e HIV

Ao falar de uma outra pandemia, a da Aids, Tedros lembrou que desde 2018, uma média de 1,7 milhão de pessoas se infectaram com o HIV, anualmente. Uma outra barreira é a falta de antirretrovirais para crianças. Quase metade dos meninos e meninas vivendo com a doença não estão em tratamento.

Segundo ele, 73 países notificaram que estão sem estoques de antirretrovirais para tratar soropositivos. O chefe da OMS manifestou grande preocupação com o impacto da Covid-19 sobre a luta contra o HIV/Aids. 

Ele disse que os países devem começar a prescrever os medicamentos por períodos mais longos de tempo. Tedros disse que escassez de preservativos, kits de test para HIV e de antirretrovirais são um alto preço que nenhum país e comunidade deve ter que pagar. Para ele, a única forma de derrotar o vírus é através da solidariedade, união e da cooperação global. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud