Unesco preocupada com ataques crescentes a jornalistas em protestos de rua
BR

23 junho 2020

Em comunicado, diretora-geral da agência, Audrey Azoulay, disse que capacidade dos profissionais realizarem o trabalho durante manifestações tem de ser assegurada e faz parte de um dos componentes fundamentais à democracia: a liberdade de expressão.

A Organização das Nações Unidas manifestou preocupação com aumento no número de incidentes violentos envolvendo jornalistas que trabalham informando sobre protestos de rua.

A chefe da agência afirmou que a liberdade de expressão é um pilar fundamental da democracia. Segundo ela, as informações e reportagens dos profissionais da imprensa sobre as manifestações é essencial para a liberdade de imprensa e o direito à informação.

Profissionais que faziam transmissões ao vivo foram detidos ou indiciados por desobedecerem a orientações para deixarem o local. Foto: Domínio Público

Balas de borracha

Durante a recente onda de protestos ao redor do mundo, a Unesco afirma que houve um aumento de casos de uso excessivo da força por agentes da lei. Alguns jornalistas foram mortos ou feridos por balas de borracha. 

Em outros casos, profissionais que faziam transmissões ao vivo foram detidos ou indiciados por desobedecerem a orientações para deixarem o local. Em algumas dessas ocasiões, o equipamento deles foi apreendido ou destruído.

A Unesco lembra que os jornalistas estão ali a trabalho e buscar entender o motivo dos protestos e a resposta das autoridades é fundamental à tarefa que eles têm de reportar os fatos, assim como suas entradas ao vivo.

A agência da ONU informou que tem oferecido cursos na internet sobre liberdade de expressão desde 2013 para mais de 3,4 mil agentes da lei em 17 países. Cerca de 17 mil juízes e integrantes do Poder Judiciário na África e na América Latina também já participaram desses treinamentos. 

Segurança de Jornalistas e Impunidade

Nesses cursos, eles analisam as formas de interação com jornalistas, entendimento mútuo de seus trabalhos e como manter um contato pacífico. A agência afirmou que deve aumentar e fortalecer esses treinamentos à medida que os protestos se espalham pelo mundo.

A Unesco é encarregada de temas sobre a imprensa e mídia. Em meados de julho, a agência da ONU deve publicar um relatório especial sobre a proteção de jornalistas durante manifestações e protestos como parte da coleção Tendências Globais na Liberdade de Expressão e Desenvolvimento da Mídia. 

A liberdade de expressão, aliás, está prevista na Constituição da Unesco. A agência também aprovou o Plano de Ação sobre Segurança de Jornalistas e o Tema da Impunidade, que há alguns anos foi tratado numa resolução da Assembleia Geral. 
 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Relator da ONU critica condenação de jornalista filipina por difamação

Especialista em direito à liberdade de opinião e expressão, David Kaye, disse que o Supremo Tribunal do país tem o dever de reverter a decisão que pode levar Maria Ressa a seis anos na prisão; ex-reporter da CNN e crítica do presidente filipino foi condenada com base no Ato de Prevenção de Crimes Cibernéticos.

Especialistas condenam uso da força contra jornalistas durante protestos nos EUA

Alerta de especialistas da ONU e da OEA baseia-se em denúncias de profissionais atacados, perseguidos e detidos em serviço; relatores de direitos humanos indicam que militarização do policiamento e declarações de que os meios de comunicação são “o inimigo do povo” preocupam.