OMS diz que máscaras cirúrgicas sozinhas não bastam para proteger da Covid-19
BR

5 junho 2020

Em declaração a jornalistas, diretor-geral da agência diz que utensílio pode causar “falsa sensação de segurança”;  Tedros Gebhreyesus disse que a prevenção depende de um conjunto de ações como distanciamento social, lavagem de mãos eoutros cuidados de saúde pública; as máscaras de tecidos devem conter três camadas para serem eficientes; ao ajustar a máscara, a mesma pode ser contamida pelas mãos do usuário;  até está sexta-feira, havia mais de 6,5 milhões de novos casos de coronavírus e mais de 387 mil mortes pela doença

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou uma atualização das orientações sobre o uso de máscaras para controle da Covid-19. Até esta sexta-feira, a doença já havia contaminado 6.515.796 pessoas e matado 387.298.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que as máscaras, por si só, não  protegem da doença, nem substituem práticas como distanciamento físico, higiene das mãos e outras medidas de saúde pública.

Pandemia

A OMS reforça ainda que é fundamental dar prioridade aos profissionais de saúde quando se trata de usar máscaras e respiradores. , by Giles Clarke

O chefe da agência afirma que o utensílio é parte de uma abordagem abrangente no combate à pandemia. 

Nas novas orientações, a OMS aconselha o uso de máscaras cirúrgicas para todos os que trabalham em áreas clínicas de uma unidade de saúde, não apenas para funcionários que lidam com pacientes com Covid-19.

Em espaços com transmissão comunitária, a recomendação é que pessoas a partir de 60 anos, ou que tenham outras condições de saúde, usem uma máscara cirúrgica em situações em que o distanciamento físico não é possível.

A OMS também solicita aos governos que incentivem o público a usar máscaras “onde houver transmissão difusa e o distanciamento físico seja difícil”, como em transportes públicos, lojas ou ambientes de grande concentração.

Pesquisas

As orientações contêm novas informações sobre a composição das máscaras de tecido após terem sido realizadas pesquisas acadêmicas. A recomendação é que estas sejam feitas de pelo menos três camadas de material diferente. Os detalhes para cada camada estão nas diretrizes.

Criança usa máscara em Joanesburgo, na África do Sul, by Unicef/Shiraaz Mohamed

Temas como lavagem das mãos, manutenção das máscaras de tecido e seu uso com segurança também têm destaque porque “as pessoas podem potencialmente se infectar se usarem mãos contaminadas para ajustar uma máscara ou retirá-la e colocá-la repetidamente, sem limpar as mãos nesse processo”.

O chefe da OMS alertou ainda que as máscaras também podem criar uma falsa sensação de segurança, levando as pessoas a negligenciar medidas como a higienização das mãos e o distanciamento físico.

Suspeitos

Tedros lembrou que as pessoas com sintomas devem permanecer em casa e consultar um médico.

Em caso de confirmação, o paciente de Covid-19 deve ser isolado, receber cuidados em uma unidade de saúde e seus contatos colocados em quarentena. A OMS detalha ainda sobre a possível saída em caso de absoluta necessidade e o cuidado de um infectado em casa, onde se deve usar máscara cirúrgica.

A agência realçou que continua aconselhando aos profissionais de saúde que usem estes e outros equipamentos de proteção ao lidar com pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19.

 

Banco Mundial/Sambrian Mbaabu
Vendedor de rua vende máscaras em mercado no Quênia

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud