Organização Mundial do Turismo divulga diretrizes para reanimar o setor pós-pandemia
BR

30 maio 2020

Em comunicado, agência da ONU diz que é preciso agir de forma decisiva para resgatar a confiança dos viajantes durante a recuperação da Covid-19; OMT reforçou parceria com empresa Google para abraçar inovação e transformação digital do turismo global.

Uma série de diretrizes para impulsionar o setor do turismo após a reabertura da economia e da crise inicial causada pela pandemia de Covid-19.

Esta é a aposta da Organização Mundial do Turismo, OMT, que quer ajudar governos e o setor privado a se reerguerem dos efeitos econômicos da pandemia.

Passageiros com máscaras e ponchos descartáveis no Aeroporto Internacional Don Mueang, em Bangcoc, Tailândia. Foto: ONU News/Jing Zhang

Exportações

O guia, preparado pela agência, sugere que, dependendo da suspensão das restrições de viagens, as chegadas internacionais devem sofrer uma queda de 60% a 80%.

Um resultado que coloca até 120 milhões de empregos em risco e que pode levar a perdas de US$ 910 bilhões a US$ 1,2 trilhão em exportações.

As diretrizes, redigidas em cooperação com o Comitê de Crise de Turismo Global, focam em sete prioridades para a recuperação do setor mitigando o impacto econômico, desenvolvendo protocolos de segurança, coordenação de respostas e promoção da inovação.

O guia destaca a importância de se resgatar a confiança dos viajantes através de distanciamento social, checagem da temperatura, aumento de ações de limpeza e higiene e kits para viagens aéreas seguras, assim como hospedagens e eventos.

PMA/Reprodução
Novas restrições de viagens para combater a segunda onda de infecções limitaram a recuperação.

Treinamentos gratuitos

Após firmar uma parceria com a empresa Google, a OMT investe na possibilidade de promover uma transformação digital de destinos de viagem, de empresas e funcionários com treinamentos gratuitos online oferecidos pela Academia OMT na internet.

A iniciativa oferece um cartão (Hi Card) par melhorar a interoperacionalidade em aeroportos e hotéis. O objetivo é reforçar a promoção do distanciamento social em hotéis e destinos turísticos.

Analistas do Painel de Especialistas da OMT acreditam que a demanda doméstica deverá se recuperar mais rapidamente que a internacional. A maioria espera que os sinais de recuperação apareçam no final deste ano.

Crises anteriores demonstraram que as pessoas que viajam por lazer para visitar parentes e amigos são menos hesitantes em viajar que os que viajam a trabalho.

As estimativas de recuperação das viagens internacionais são mais positivas na África e no Oriente Médio. Já as Américas devem começar a retomar as atividades apenas após 2020. O cenário para Europa e Ásia é misto. Metade dos analistas acredita que a retomada das viagens deve ocorrer somente em 2021.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud